Anderson diz que aceitou lutar no UFC Rio 3 pelos fãs: “Não basta ser herói de autógrafo”

Anderson Silva anunciou que estava de férias até o final deste ano, mas com as lesões de José Aldo e Quinton Rampage Jackson, o campeão dos pesos médios se ofereceu para “salvar” o card do UFC Rio 3 e ser a maior estrela do evento que acontece dia 13 de outubro, na capital fluminense. O “Spider”, que enfrenta o norte-americano Stephan Bonnar na divisão de meio-pesados, revelou que o principal motivo de aceitar o combate com apenas 30 dias de preparação é o público brasileiro.

“O motivo pelo qual decidi aceitar essa luta foi para retribuir o carinho que recebi dos brasileiros na minha última luta. Era pra ter sido no Brasil, mas por questões técnicas acabou sendo em Las Vegas. Mesmo assim, senti que o povo brasileiro estava comigo, os que foram para assistir e os que ficaram aqui. O Brasil parou às 2h da manhã. Nessas circunstâncias, com a lesão do José Aldo, eu não queria queria que outro evento no Brasil fosse prejudicado. Por isso resolvi aceitar”, disse Anderson.

“Visivelmente empolgado com a chance de subir novamente no octógono diante de sua torcida, Anderson, que venceu Yushin Okami, no UFC Rio 1, falou sobre a emoção de ter ídolo para vários brasileiros.

“Não basta ser herói de autógrafo, e sim ser um brasileiro que entende a responsabilidade de retribuir os fãs. Missão dada é missão cumprida”, encerrou o Spider.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário