Preso, Gracie disse que era perseguido “pelo pessoal da favela e PCC”

Ryan Grace, preso em São Paulo acusado de roubar um carro

O lutador Ryan Gracie alegou nesta sexta-feira à polícia que estava sendo “perseguido” quando foi preso acusado de roubar um Corolla e de tentar levar uma moto na zona oeste de São Paulo. O lutador foi preso em flagrante.

Segundo o delegado Aílton Camargo Braga, Gracie disse que era perseguido “pelo pessoal da favela e pelo PCC [Primeiro Comando da Capital]”. Braga afirmou que o lutador passará por exames toxicológicos para saber se ele estava sob efeito de drogas.

“Infelizmente, ele está muito alterado, não conseguimos pegar o depoimento dele com muito discernimento. Já soube que ele passa por problemas psicológicos. Ele, inclusive, parece estar alterado pelo uso de medicamentos fortes que ele aparentemente toma”, afirma Braga.

O delegado diz que recebeu uma ligação do advogado de uma clínica de tratamento psicológico, localizada no interior de São Paulo, para informar que Gracie passa por tratamento no local.

Braga disse que que o tratamento, se comprovado, não muda a situação do flagrante dele. Segundo o delegado, ele será indiciado por roubo e tentativa de roubo. Gracie já tem três passagens pela polícia por agressão.

Agressões

Segundo testemunhas, ao roubar o Corolla, Gracie agrediu o dono do veículo com uma faca de cozinha cortando um dedo da mão esquerda da vítima. Com o carro, Gracie andou por pouco tempo e bateu. Depois, tentou roubar uma moto.

Quando abordou o motoboy, Gracie teria mostrado uma faca e disse que era assalto. “Desce da moto, senão eu te mato”, teria dito Gracie. O motoqueiro pegou a encomenda que levaria para Cotia (Grande São Paulo), enquanto Gracie subiu na moto sem conseguir ligá-la.

Outros motoboys pararam no semáforo e encorajaram a vítima a não deixar que Gracie levasse o veículo. O dono da moto afirmou que bateu com o capacete na cabeça de Gracie, que caiu e foi imobilizado pelo grupo de motociclistas.

“Acredito que ele realmente esteja sob efeito de drogas, porque se ele estivesse são, teria derrubado todo mundo. ele é muito forte”, disse o delegado.

Rodrigo Souto, advogado de Ryan Gracie, disse que desconhece qualquer tratamento do cliente. Souto afirma que ele estava sendo perseguido e não cometeu nenhum crime.

Deixe seu comentário