Brasileiro CBJJE: Atos domina na faixa preta

A equipe Atos não tem do que reclamar da participação no último dia do Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu da CBJJE, que aconteceu neste domingo (24 de maio), em São Paulo. Na principal graduação, a faixa preta, o time de Ramon Lemos e André Galvão levou a melhor em quatro das 10 categorias, além de garantir um vice-campeão. Entre os destaques individuais, Ricardo Abreu “Demente” faturou na categoria de peso e no absoluto e voltou do ginásio Mauro Pinheiro, no complexo do Ibirapuera, com duas medalhas de ouro no peito. Confira como foi o último dia do evento:

Galo
Bruno Malfacine continua sua trajetória impressionante. O representante da Alliance, que em 2008 venceu no Mundial e Pan-Americano da entidade, sobrou nos três combates que fez. Na primeira luta, o Bad Boy pegou as costas e finalizou Narciso Villaça (Checkmat) com um estrangulamento. No segundo combate, Malfa aplicou uma chave americana de pé para definir. Na disputa pelo ouro, Bruno mais uma vez finalizou. Contra Jonas Furtado (Nova União), raspou, pegou as costas e aplicou um justo mata-leão para comemorar.

Pluma
A festa da Atos começou no peso pluma, com Guilherme Mendes. Acostumado a se apresentar entre os penas, Gui finalizou quatro oponentes para subir ao lugar mais alto do pódio. No primeiro combate, raspou e passou a guarda para depois finalizar com um estrangulamento. Em seguida, raspou duas vezes e definiu novamente com um estrangulamento. Na semifinal, Mendes já levava vantagem com duas raspadas quando o oponente se contundiu. A decisiva foi contra Sebastian Lalli (Checkmat), e Guilherme, após raspar, acabou com as chances do adversário novamente com um estrangulamento.

Pena
A festa da Atos continuou com Bruno Frazatto. Vindo de vitória no Brasileiro da CBJJ, na semana anterior, o casca-grossa unificou o título com direito a revanche. No combate inicial o triunfo veio com um armlock. Em seguida, Frazatto encarou a pedreira Leandro Issa “Brodinho” (Liga JJ), tendo vencido por 2 a 0 (raspada). A revanche foi contra Isaque Paiva (Libone), na final, lutador que finalizara Bruno numa competição recente e vinha finalizando a todos no Brasileiro. Tendo começado perdendo por 2 pontos, o representante da Atos pôs raça e virou com uma passagem de guarda. Para assegurar o ouro, ainda colocou o joelho na barriga e fechou com 5 a 2 no placar.

Leve
Nesta categoria foi a vez de Gilbert Burns, o Durinho, faturar o título pela Atos. O faixa preta, que em 2008 foi um dos destaques do Mundial e do Pan da CBJJE, começou a campanha vitoriosa com uma queda e raspagem. Na segunda luta, aplicou um armlock da meia-guarda para seguir no páreo. Depois de contar com a ajuda de um companheiro de equipe na semifinal, que abriu, usou uma queda para bater Felipe Vidal (Checkmat) na finalíssima.

Médio
E quem garantiu o último ouro no preta adulto para a atos foi Claudio Calasans, que no ano anterior foi campeão mundial pela CBJJE. Na primeira luta, Calasans venceu com um estrangulamento e, na segunda apresentação, após empate, passou na decisão do juiz. Já a vaga na final veio com um estrangulamento pelas costas. Na disputa pelo ouro, Calasans enfrentou Claudio Cardoso (Gracie Barra). Para decidir rapidamente, puxou para a guarda e encaixou um justo estrangulamento, golpe que fez o oponente desistir.

Meio-Pesado
A seqüência de vitórias da Atos foi quebrada nessa categoria, entretanto, foi por pouco. O responsável por estragar a festa foi a pedreira Evandro Pena (Guigo). O lutador já havia vencido duas lutas, uma por desistência e a outra com um estrangulamento das costas. Na decisão, contra Vitor Toledo (Atos), abriu 20 pontos com montadas e pegadas pelas costas, de onde grampeou e não saiu até finalizar com um estrangulamento.

Pesado
A decisão do pesado foi entre Eduardo Toledo (Liga JJ) e Marcos Willian (Tozi). Num combate parelho, Willian começou vencendo com uma vantagem da meia-guarda, mas Eduardo virou o placar, com duas vantagens. Ao todo, o campeão fez três combates. Na primeira apresentação o triunfo foi por 4 a 0, enquanto na segunda bateu o duro Marcelo Coppa (Lotus) por 4 a 2.

Superpesado
No superpesado entrou em cena Ricardo Abreu (Robson Moura), o Demente, que depois também levaria a melhor no absoluto. Após bater dois adversários com estrangulamentos da imobilização, Demente encarou Filippe Mattos (Liboni) na decisão da categoria. Desta vez o golpe usado para finalizar foi um armlock.

Pesadíssimo
Quem levou a melhor foi Claudio Godoy (Center Fight). No primeiro combate, o lutador finalizou. Já na final, contra Gustavo Adolfo (Alliance), usou todo o conhecimento na luta em pé. Aplicou três quedas e depois passou a guarda para anotar 12 a 0 no placar.

Absoluto
No absoluto veio com tudo novamente Ricardo Abreu “Demente”. Antes da decisão, o pupilo de Robson Moura finalizou três oponentes. Os golpes usados foram dois armlocks e um estrangulamento, que fez o adversário bater ainda em pé. Na final, encarou o também finalizador Isaque Paiva, que havia sido vice entre os penas e vinha de vitória com um triângulo na semifinal. Isaque tentou manter o desempenho com um estrangulamento rodado, mas Demente se desvencilhou do golpe, passou três vezes a guarda e usou mais uma vez o justo armlock para faturar a segunda medalha de ouro do dia.

Absoluto Feminino
A final da categoria foi entre Danielle Silva (Leão Dourado) e Silvana Abreu (Manimal). Danielle abriu o placar com uma queda. Silvana bem que tentou devolver o ponto, num combate todo em pé, mas a vitória foi para a atleta da Leão Dourado. Antes, Danielle havia vencido uma adversária.

Deixe seu comentário