Mario Reis e Rodolfo dividem o brilho no mundial da CBJJE

Premiação da categoria absoluto

Geralmente o grande destaque da competição é o campeão da categoria absoluto, o que, inclusive, merece o faixa-preta Rodolfo Vieira. Mas não tem como negar, Mario Reis dividiu as atenções com igualdade no ginásio do Ibirapuera. Numa estrutura de primeira, com placares eletrônicos nas 11 áreas de luta, por exemplo, os faixas-pretas deram início nesta sexta-feira ao Mundial de Jiu-Jitsu da CBJJE, em São Paulo. Saiba como foi tudo:

 

Mario Reis (Gracie Barra) fez um total de nove lutas. Só no peso pena foram quatro e o lutador deixou de finalizar apenas na final, contra o duro Isaque Paiva. “Pena não ter finalizado todas, mas valeu. Estou cansado, mas também vou lutar o absoluto”, comentara.

 

Na categoria livre veio Rodolfo Vieira (GFTeam), que não disputou o peso. Nesta estava em jogo uma passagem para o Japão, onde acontece o Asiático da entidade. Rodolfo passou com superioridade todos os quatro adversários, enquanto Mario, mais leve, dava show diante dos pesadões. Na decisão, entretanto, o gaúcho não suportou a pressão de Vieira, finalizado pelas costas, e não pôde repetir o feito do último ano, quando venceu as duas categorias. Melhor para Rodolfo, que triunfou com brilho nas cinco lutas que fez e parte rumo ao Japão.

 

Mas muitos outros faixas-pretas fizeram bonito. No galo, o campeão de MMA Jussier Formiga (Kimura) fechou com o companheiro Yoshinori “Japa”. No pluma, mandou bem Bernardo Pitel (Nova União), que bateu quatro oponentes. Na final, fez uma luta dura contra Samir Chantre, vencida nos últimos segundos por uma vantagem, depois e raspar e empatar nos pontos (2 a 2).

 

O leve teve como campeão outra fera da Gracie Barra, o aluno de Mario Reis Moacir Mendes. Moacir fez cinco combates e, na decisão, usou o forte judô para bater Felipe Vidal com uma queda. Adriano Silva (Barbosa) foi o grande campeão no médio. Na quarta apresentação, a final contra Bruno Almeida (Gracie Barra), venceu depois do empate em 4 a 4.

 

No meio-pesado fecharam os companheiros da Ryan Gracie Diogo Almeida e o lutador de MMA Viscardi Andrade, para a alegria do professor Celsinho Venícius. O pesado foi para o experiente Evandro Pena (Guigo), que finalizou com um estrangulamento pelas costas na decisão, sua quarta luta. Daniel (Cia Paulista) bateu quatro adversários e fez 16 a 0 para subir ao alto do pódio, contra Jackson Paulo. E o ouro no pesadíssimo ficou com Adrian Naliato (Impacto), que, na quarta luta, que valia o título, não deu bobeira e finalizou Weslei Silva “Formiga” (Cia Paulista) no triângulo.

 

Também travaram batalhas duras os mais veteranos. André Marola (Nova Unão), por exemplo, fez três lutas para ser o melhor no sênior pesadíssimo, enquanto Jair Lourenço (Kimura) bateu quatro adversários e também fez bonito

 

 

* Nota e foto distribuida pela assessoria de imprensa do evento

Deixe seu comentário