Polícia prende ex-treinador de sumô acusado de assassinato

Tokitsukaze tenta se esquivar do assédio da imprensa. O técnico foi preso nesta quinta

A polícia japonesa realizou nesta quinta-feira a prisão de um ex-treinador de sumô devido a uma suspeita de conexão com a morte de um lutador de 17 anos, que morreu durante um campo de treinamento em junho do ano passado, após supostamente ter lutado com companheiros.
Tokitsukaze, de 57 anos, cujo nome real é Junichi Yamamoto, e outros três lutadores são suspeitos de causar lesões no corpo do lutador Takashi Saito, levando à sua morte.

Também em junho do ano passado, Yamamoto teria acertado Saito propositalmente na cabeça, com uma garrafa, após o lutador ter tentado fugir de um treinamento. A suspeita que recai sobre o ex-treinador é a de que ele teria ordenado a três lutadores mais velhos para atacar Saito. A agressão incluiu pancadas com um taco de beisebol de metal.

A associação de sumo do Japão demitiu o treinador em outubro de 2007.

Uma autópsia mostrou que o corpo de Saito tinha lesões e feridas que não pareciam consistentes com aquelas contraídas no treinamento normal de sumo.

Yamamoto admitiu ter acertado Saito na cabeça com uma garrafa de cerveja um dia antes de ele morrer, e de tê-lo forçado a treinar tão duro que ele mal conseguia ficar em pé no dia de sua morte.

O pai do lutador disse que Saito fugiu duas vezes do treinamento – uma vez em meados de junho, e novamente um dia antes de sua morte -, mas não afirmou que ele foi ameaçado ou agredido.

Deixe seu comentário