Aos 43 anos, Mirko Cro Cop anuncia aposentadoria do MMA

Peso pesado encerra sua carreira após conquistar o GP do Rizin FF, no último dia de 2016

Cro Cop encerrou a carreira aos 43 anos. Foto: Divulgação/UFC

Cro Cop encerrou a carreira aos 43 anos. Foto: Divulgação/UFC

Um dos maiores nomes da história dos pesos pesados, Mirko Cro Cop anunciou que está se aposentando do MMA. De acordo com o lutador de 43 anos, as lesões e as fortes dores nos joelhos são os principais motivos que o levaram a tomar essa decisão. Apesar de ter pendurado as luvas, o veterano não descarta uma luta de despedida no Japão.

Veja Também

UFC contrata lutador brasileiro revelado em reality show de Dana White
Demi Lovato troca Luke Rockhold por lutador brasileiro
Ronda Rousey recebe 45 dias de suspensão médica após o UFC 207

“Esta foi, definitivamente, a minha última apresentação. Estou com problemas no meu joelho – rompi o ligamento, a cartilagem está destruída. Tenho ido ao médico uma vez por semana, para fazer punções. Nunca mais quero passar por este inferno. Dei o meu melhor em cada luta que fiz. Sei que já me aposentei uma vez e voltei, mas agora é pra valer. Me doei totalmente a este esporte. Se for possível, posso fazer somente uma luta de despedida, e claro que será no Japão. Mas vai depender de como meu joelho estará”, declarou, em entrevista à Nova TV, de Zagreb.

O último ato de Mirko foi no dia 31 de janeiro, quando conquistou o título do GP do Rizin FF, vencendo dois adversários na mesma noite: Baruto Kaito e Amir Aliakbari. “

“Foi um momento único, em uma noite muito festiva. Eu cheguei ao limite da dor, porque foi a preparação mais dura em termos de treinamentos que já fiz. A dor vinha das lesões que acumulei até aqui. Fiquei feliz por mim e pelo meu time. Mesmo sendo um esporte individual, não se tem sucesso no MMA sem uma equipe. Todos contribuíram para a minha vitória, e agradeci a todos do fundo do coração”, concluiu.

Cro Cop encerra a carreira com 49 lutas disputadas, tendo obtido 35 vitórias, 11 derrotas, dois empates e uma luta sem resultado. Durante os 15 anos como profissional, ficou marcado pelos diversos nocautes com chutes altos, que geraram até a famosa frase “Perna direita, hospital; perna esquerda, cemitério”. Seu melhor momento foi no extinto Pride, quando conquistou o GP ao derrotar Josh Barnett na grande final, em 2006. No Ultimate, foram três passagens, acumulando cinco triunfos e seis reveses.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário