Com luta marcada no UFC Fortaleza, Shogun explica ‘sumiço’ do octógono

Meio-pesado diz que intenção era ter atuado em setembro, no UFC Brasília, mas uma tendinite impossibilitou o retorno

Shogun lutou apenas duas vezes nos dois últimos anos. Foto: Josh Hedges/UFC

Shogun lutou apenas duas vezes nos dois últimos anos. Foto: Josh Hedges/UFC

Sem lutar há oito meses, quando derrotou Corey Anderson no UFC 198, em Curitiba Maurício Shogun, enfim, teve seu retorno ao octógono anunciado. Com luta marcada para o UFC Fortaleza, quando enfrentará Gian Villante, em duelo válido pela categoria dos meio-pesados, o brasileiro explicou o motivo pelo qual ficou na ‘geladeira’ do Ultimate. Segundo ele, uma tendinite o impediu de retornar mais rápido.

Veja Também

Shogun (foto) vem de vitória sobre Corey Anderson Foto: Josh Hedges/UFC
Maurício Shogun pega Gian Villante no UFC Fortaleza
P. Craig estreou no Ultimate com vitória sobre Frankenstein, no UFC Sacramento. (Foto: Getty Images)
Algoz de brasileiro quer enfrentar Shogun ou Minotouro no UFC Escócia

“O meu foco era lutar em Brasília em setembro, mas eu tive uma tendinite que me impossibilitou de treinar duro. Não foi nada demais, mas estava doendo. Eles me perguntaram se eu poderia lutar em São Paulo (em novembro) mas eu também não pude. Agora eu estou 100%. Estou treinando bem e pronto para lutar”, afirmou, em entrevista ao site ‘MMA Fighting’ (EUA).

Em boa fase, Shogun vem de dois triunfos consecutivos, algo que não acontecia desde 2009, quando realizou suas primeiras lutas na organização. No entanto, o bom momento não faz o ex-campeão dos meio-pesados almejar uma disputa de cinturão no momento.

“Eu sou o número sete no ranking, mas para dizer a verdade, eu não foco muito no ranking ou no cinturão. O meu foco está no adversário na minha frente. Eu não posso pensar em outra pessoa enquanto tenho alguém duro na minha frente. O meu foco está nele (Villante). Estou 100% focado nessa luta e todo o resto é consequência”, concluiu.

Aos 35 anos de idade, Shogun, apesar de ter conquistado o cinturão dos meio-pesados em 2010, quando nocauteou o compatriota Lyoto Machida, tem uma trajetória de altos e baixos no UFC. Ao todo, são 16 lutas, com oito vitórias e oito derrotas.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário