Parceira de treinos de McGregor se aposenta por coágulo no cérebro

Aisling Daly participou do The Ultimate Fighter e foi a primeira mulher irlandesa a conquistar um título no MMA

A. Daly (esq.) venceu E. Almeida (dir.) no UFC Dublin em sua última luta Foto: Divulgação/UFC

A. Daly (esq.) venceu E. Almeida (dir.) em sua última luta Foto: Josh Hedges/UFC

Veja Também

D. White (esq) teve conversa com R. Rousey (dir) Foto: Divulgação
Após conversa, Dana revela que Ronda Rousey deve se aposentar
Mousasi venceu suas últimas quatro lutas, sendo três por nocaute. (Foto:Josh Hedges/UFC)
Mousasi diz que veto de Trump pode impedir luta com Weidman
Manuwa (esq) e C. Anderson (dir) medem forças em março. (Foto: Produção SUPER LUTAS / Getty Images)
Manuwa x Anderson é a nova luta principal do UFC Londres

Aos 29 anos, a peso palha Aisling Daly anunciou sua aposentadoria na última segunda-feira (30) após descobrir um coágulo no cérebro em exame de rotina. Parceira de treinos do campeão dos leves, Conor McGregor, a lutadora é tida como uma pioneira do MMA feminino europeu, tendo sido a primeira irlandesa campeã mundial no esporte, quando conquistou o título do evento NAAFS, em 2011. Pelo UFC, ela lutou três vezes, com duas vitórias e uma derrota, além de ter participado do The Ultimate Fighter 20.

Em comovente postagem por meio de seu Facebook oficial, Daly agradeceu o apoio de sua equipe, discorreu sobre suas conquistas no MMA e indicou que deve virar treinadora da SBG (Straight Blast Gym), equipe de McGregor, Artem Lobov, entre outros atletas do UFC.

Entre suas conquistas marcantes, estão o triunfo sobre Jessica Eye, que lhe deu o título do NAAFS, e as vitórias sobre Alex Chambers e a brasileira Ericka Almeida, em sua última luta, no UFC Dublin, em 2015. No TUF, a irlandesa venceu Angela Magana por nocaute na primeira rodada, mas foi eliminada por Jessica Penne nas quartas de final, por decisão. Seu cartel é de 16 vitórias e seis derrotas.

Leia a postagem de aposentadoria de Aisling Daly:

“Estou oficialmente me aposentando do MMA. Uma ressonância magnética de rotina no meu cérebro mostrou evidências da presença de um resquício anormal de hemorragia, que teria acontecido nos últimos meses. Seria pouco provável que eu fosse liberada clinicamente para lutar. Mesmo se algum evento encontrasse um médico que desse o aval, não seria inteligente da minha parte continuar a competir com os riscos do MMA. Minha carreira terminou prematuramente, mas estou feliz pelas minhas muitas conquistas. Sou e sempre serei a ‘Ais I’, e meu legado está cravado na pedra do MMA irlandês. Sou a primeira campeã mundial do país, e a única mulher a conseguir esse feito. Do fundo do coração, gostaria de agradecer aos fãs que me apoiaram incansavelmente e aos meus amigos e companheiros de equipe. Agradeço à minha família, que sempre esteve ao meu lado para me reconstruir durante a minha carreira, principalmente agora, que meu sonho caiu por terra. Tive muita sorte por crescer dentro de uma equipe incrível como a SBG. Estou preparada para ser uma ótima treinadora e membro da comunidade do MMA. Estou ansiosa pelos novos desafios. “Novos começos são muitas vezes disfarçados de términos dolorosos” – Lao Tzu”.

 

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário