Entrevista: Joinha fala sobre o fim da Black House

Em entrevista ao site Gracie Magazine, o fundador da Black House, Jorge Guimarães, o Joinha, esclareceu para o fã de vale-tudo uma série de pontos e boatos que envolvem a equipe. Confira:

Joinha, a Black House acabou?
De forma alguma, só mudamos de endereço e de nome. Os treinadores e o time foram juntos; inclusive o Anderson Silva e o Lyoto Machida. Um novo nome vai ser divulgado em breve.

Por que você saiu lá do Recreio, no Rio?
Rolou uma incompatibilidade de energias com um dos três sócios, e como a Black House era situada na mesma estrutura da X-Gym, fui intimado a sair de lá. Mas quero deixar claro que o desentendimento não foi com o meu amigo de longa data Rogério Camões ou com o Rodrigo Bethlem, filho da minha amiga querida Maria Zilda.

E a mudança foi para melhor?
Para te falar a verdade, investi muito tempo e dinheiro. O tempo não foi totalmente perdido; quanto ao dinheiro, a direção da X-Gym prometeu me ressarcir os investimentos feitos. Mas até agora nada…

Rolam boatos de que você e o Vitor Belfort brigaram. É verdade?
Absolutamente! As pessoas falam demais. Já ouvi várias histórias que o Vitor me traiu fazendo fofocas mirabolantes para assumir minha posição, e que constantemente alicia alguns de nossos treinadores. Conversei com ele e ele negou. Eu acredito nele. Chegou aos meus ouvidos que lhe dei o apelido de “Judas Belfort”. Isso é um absurdo! Nunca faria isso. Quem me conhece sabe que não minto. Além do mais, seria muita prepotência me comparar a Jesus. Embora tenha nascido no dia 25 de dezembro, e ele no dia 1º de abril. Mas isso é uma mera coincidência, eu acho…

E te surpreendeu o fato de o Vitor ter se tornado parte do time X-Striker?
De jeito nenhum! Cada um escolhe o seu próprio caminho, inclusive o nome cai como uma luva para ele. Podemos mudar de assunto? X-Striker ou X-Gym é página virada, a letra X foneticamente em inglês significa “ex”, então isso para mim é passado…

E o surfe? Alguma viagem programada?
Bem, estou acompanhando o Paulo Filho, que defende o título do WEC dia 12 de dezembro em Las Vegas, de lá vou para Los Angeles e fico fazendo matérias para o programa “Passando a Guarda”, que é meu carro-chefe, e esperando o Lyoto que luta no dia 29 de dezembro em Vegas. No dia 30, me mando para o Hawaii onde fico o mês de janeiro de férias surfando e curtindo com meus grandes amigos Eddie Rothman e Kai Garcia no North Shore de Oahu. Do Hawaii vou para o Canadá para a luta do Minotouro, dia 1º de fevereiro, e logo em seguida partimos para Las Vegas, para a luta do Minotauro no dia seguinte, valendo o título dos pesados do UFC. Pode ser contra quem for.

E alguma novidade nas internas?
Sempre! O Nino Schembri está indo junto com o Daniel Woirin, nosso professor de muay thai, para Belém, para treinarem o Lyoto juntamente com seu irmão Shinzo Machida. Eles inclusive devem ficar no córner dele na luta contra o Sokoudjou, dia 29. Já o Paulão Filho está preparando uma surpresa para a luta dele no WEC: deve entrar com um cachorro no ringue. Mas não será um dos pitbulls dele aqui no Rio não, é um pitbull americano com uma cabeça extraordinariamente grande, conhecido como American Bully. Coisas de Paulão! Mas tudo isso o pessoal vai ver no “Passando a Guarda”, que vem melhorando a cada semana, trazendo novos eventos como o próprio WEC entre outras coberturas exclusivas feitas pela nossa equipe de ponta. Então fiquem ligados no Premiere Combate, o canal que é 100% lutas! Buddy bye!!!

Deixe seu comentário