Cinco motivos para assistir o UFC Fortaleza neste sábado

Entre no clima do UFC Fortaleza e saiba porque você não pode deixar de acompanhar o retorno de Belfort e a legião de brasileiros no card

UFC Fortaleza acontece neste sábado (11). (Foto: Divulgação)

UFC Fortaleza acontece neste sábado (11). (Foto: Divulgação)

O UFC desembarca neste sábado (11) pela primeira vez no Brasil em 2017. A cidade de Fortaleza sediará o card liderado por Vitor Belfort contra o jovem Kelvin Gastelum. O evento ainda contará com mais 12 brasileiros, com destaques maiores para  Maurício Shogun e Edson Barboza, que enfrentam Gian Villante e Beneil Dariush, respectivamente.

TEMPO REAL: Siga o UFC Fortaleza AO VIVO

Veja Também

V. Belfort (esq) é azarão contra K. Gastelum (dir) (Photo by Buda Mendes/UFC)
Vitor Belfort é o maior azarão nas apostas do UFC Fortaleza
maxresdefault-1
Palpites: UFC Fortaleza – Vitor Belfort x Kelvin Gastelum

Outros nomes relevantes que marcam presença no show são o de Bethe Correia, ex-desafiante ao cinturão peso galo feminino, Francisco Massaranduba, 11º no ranking dos leves, Alex Cowboy, que busca entrar no top 15 dos meio-médios, e Rony Jason, campeão do TUF Brasil 1 e único representante do estado no card.

Para você entrar no clima do UFC Fortaleza, o SUPER LUTAS preparou cinco motivos para você assistir o evento.

1 – Experiência de Vitor ou juventude de Gastelum?

Choque de gerações na luta principal do UFC Fortaleza (Foto: UFC/Produção: SUPER LUTAS)

Choque de gerações na luta principal do evento (Foto: UFC/Produção: SUPER LUTAS)

Escalado pela quinta vez como protagonista de um evento no Brasil, Vitor Belfort pode estar tendo sua última oportunidade de mostrar que ainda é capaz de competir contra a elite do peso médios. Aos 39 anos e vindo de duas derrotas acachapantes (para Ronaldo Jacaré e Gegard Mousasi), o Fenômeno terá que apostar suas fixas na experiência e na trocação sempre perigosa para voltar ao caminho das vitórias e afastar a má fase.

Ao longo de seus 20 anos de carreira, Belfort alternou altos e baixos. Após um ano de 2013 avassalador, quando nocauteou Michael Bisping, Luke Rockhold e Dan Henderson em sequência, o brasileiro enfrentou um ano sabático e retornou apenas em maio de 2015, no UFC 187, quando foi nocauteado por Chris Weidman ainda no primeiro round, em duelo válido pelo cinturão dos médios. No mesmo ano, se recuperou ao nocautear novamente Dan Henderson, mas as derrota para Jacaré e Mousasi voltaram a colocar seu futuro em xeque.

Do outro lado do octógono estará o jovem Kelvin Gastelum. Com apenas 25 anos, o pupilo do treinador brasileiro Rafael Cordeiro, líder da Kings MMA, chegou ao Brasil demonstrando um show de carisma, com direito a canções de músicas de Wesley Safadão, que fatalmente conquistou a torcida cearense. No sábado, buscará a maior vitória de sua carreira e, consequentemente, cravar seu nome como um dos principais nomes da categoria.

Campeão do TUF 17, Kelvin já soma dez lutas na organização, com oito triunfos e dois reveses. Em sua apresentação mais recente, no UFC 206, em dezembro passado, não tomou conhecimento do agora aposentado Tim Kennedy e nocauteou o adversário no segundo round, após dominar todo o combate. Contra Belfort, novamente terá que provar que a juventude e a sede de vitórias se sobressairão contra o maior tempo de rodagem do rival.

Experiência ou juventude: quem falará mais alto no próximo sábado? Aguardemos os próximos capítulos…

2 – Maurício Shogun vai emplacar de vez?

Shogun tenta feito inédito no UFC: três vitórias seguidas.(Foto: Josh Hedges/UFC)

Shogun tenta feito inédito no UFC: três vitórias consecutivas (Foto: Josh Hedges/UFC)

Pela primeira vez desde que desembarcou no UFC, Maurício Shogun terá a oportunidade de engatar três vitórias consecutivas na organização. Nem mesmo em seu auge na casa, quando conquistou o cinturão dos meio-pesados ao nocautear Lyoto Machida, a cria da Chute Boxe conseguiu tal façanha. Agora, após acumular oito triunfos e oito reveses no Ultimate, tem a faca e o queijo na mão para deslanchar de vez.

Além da série de vitórias, há outro “prêmio” em jogo para o brasileiro: a chance de entrar no top 5 da divisão e voltar, aos 35 anos, pensar em uma nova disputa de título. Afinal, com a categoria rasa e sem muitas opções, o nome de peso do ex-campeão é sempre um atrativo interessante para os fãs, especialmente os mais saudosos. Para carimbar a boa fase, tem o adversário ideal para deslanchar de vez.

Atual número 12 no ranking dos meio-pesados, Gian Villante é apenas um lutador comum, que pode servir, no máximo, como porteiro do top 15. Contra Shogun, porém, entrará como franco atirador e pode surpreender, caso o brasileiro entrar desligado – como já vimos em algumas oportunidades. O norte-americano vem motivado pelo nocaute aplicado no russo Saparbek Safarov, em dezembro de 2016.

Um dado curioso: em cinco lutas feitas no Brasil, Shogun venceu três e perdeu duas. O retrospecto vantajoso aumentará ou o placar ficará empatado?

3 – Edson Barboza de olho no cinturão

Barboza vem de duas vitórias consecutivas nos leves (Foto: Mike Roach/UFC)

Barboza pode entrar no bolo de desafiantes do peso leve (Foto: Mike Roach/UFC)

O ano de 2016 foi de afirmação para Edson Barboza. Após conseguir dois bons resultados sobre o ex-campeão Anthony Pettis e o ex-desafiante Gilbert Melendez, o carioca de Nova Friburgo invadiu o top 5 dos leves, se consolidou como uma força no peso e ficou ainda mais perto do seu principal objetivo: conquistar o cinturão até 70kg.

Na franquia desde 2010, quando estreou mostrando o cartão da casa ao nocautear Mike Lullo com seus letais chutes nas pernas, Edson sempre foi tratado como um produto a ser lapidado, mas as falhas em momentos decisivos, como as derrotas para Donald Cerrone, Michael Johnson e Tony Ferguson, diminuíram o hype em volta do brasileiro. Neste sábado, ele terá a oportunidade de mostrar que faz, de fato, parte da elite dos leves.

Para isso, terá que superar o bom Beneil Dariush, 9º no ranking. Pupilo do brasileiro Rafael Cordeiro, líder da Kings MMA, o iraniano radicado nos Estados Unidos acumula oito vitórias em dez lutas realizadas no UFC, incluindo uma em solo brasileiro: derrotou Carlos Diego Ferreira no UFC 179, no Rio de Janeiro, em outubro de 2014. Se passar por Barboza, mudará de status perante aos fãs e poder alçar voos maiores.

4 – Promessa de pancadaria, entendeu? 

Massaranduba vem de sete vitórias consecutivas nos leves (Foto: Buda Mendes/UFC)

Massaranduba vem de sete vitórias consecutivas nos leves (Foto: Buda Mendes/UFC)

A julgar pelas últimas sete vezes em que Francisco Massaranduba subiu no octógono, podemos dizer que a garantia de show é certa. Seja durante a peleja ou na entrevista pós-luta, com suas entrevistas sempre sinceras e emocionantes, o ‘homem que nasceu para bater em outro homem’ é uma atração à parte para o público tupiniquim, e talvez por isso tenha feito 11 de suas 14 lutas na companhia em solo brasileiro.

Com sete vitórias consecutivas no peso leve, Massara vai em busca da oitava para continuar galgando posições no ranking – se encontra na 11ª colocação. Em sua última aparição, derrotou Paul Felder por nocaute técnico no UFC Brasília, em setembro passado, quatro meses após protagonizar uma verdadeira anarquia contra Yancy Medeiros no UFC 198, em Curitiba.

Para manter sua invencibilidade que já dura quase três anos, precisará passar pelo jovem e perigoso Kevin Lee, de apenas 24 anos e embalado com sete resultados positivos em nove lutas no UFC. Aos 38 anos, o humilde e carismático lutador oriundo de Amarante, do Piauí, tentará provar, mais uma vez, que não tem idade ou barreiras para quem trabalha duro para alcançar seus sonhos. “Entendeu?”

5 – Vale a pena ficar de olho 

Cowboy, Bethe e Jason também estarão em ação. (Foto: UFC/Produção: SUPER LUTAS)

Cowboy, Bethe e Jason também estarão em ação. (Foto: UFC/Produção: SUPER LUTAS)

Além dos quatro motivos citados acima, o card está repleto de bons casamentos e razões pelas quais não podemos perder o evento na capital cearense. Como ficaria inviável citar todos, três nomes serão destacados aqui: Alex Cowboy, Bethe Correia e Rony Jason.

Na primeira luta da porção principal, Alex Oliveira, o Cowboy, terá a chance de acertar as contas na revanche com Tim Means, em duelo válido pelos meio-médios (até 77kg). O primeiro duelo entre eles, realizado no UFC 207, em Las Vegas (EUA) acabou sem resultado em decorrência de uma joelhada ilegal aplicada pelo norte-americano. Agora, será o brasileiro que lutará “em casa”.

Contratado no início de 2015, o carismático lutador teve uma ascensão meteórica na organização e logo ficou conhecido por seu estilo “fominha”, chegando a realizar três lutas em três meses. Alternando entre o peso leve e meio-médio, Cowboy já anotou cinco vitórias – incluindo uma contra Will Brooks, ex-campeão do Bellator – e duas derrotas na organização, e rapidamente saiu do anonimato para o posto de queridinho da torcida brasileiro. Um triunfo sobre o casca-grossa Tim Means pode significar o último passo antes de adentrar ao top 15.

Ex-desafiante na divisão peso galo feminino, Bethe Correia volta a lutar no Brasil após o fatídico UFC 190, realizado no Rio de Janeiro, quando foi nocauteada pela ex-campeã Ronda Rousey em apenas 35 segundos. Após o revés, novo tropeço diante de Raquel Pennington, mas a recuperação veio contra Jessica Eye no UFC 203, em setembro de 2016.

Atualmente na nona posição no ranking, a paraibana quer voltar a ter uma dobradinha de resultados positivos para se manter relevante na divisão, especialmente após nomes como Miesha Tate, Ronda Rousey e Holly Holm saírem dos holofotes. Para isso, terá que superar a veterana Marion Reneau, de 37 anos, que, assim como Bethe, também vem alternando bons e maus resultados. Será que a ‘Pitbull’ vai morder mais uma?

Após a saída de Godofredo Pepey do card, Rony Jason entra com a responsabilidade de ser o único representante do estado em ação no show. Para fazer bonito frente à sua torcida, o cearense de Quixadá precisará tirar a invencibilidade do garoto canadense Jeremy Kennedy, 9-0 no MMA e 1-0 no Ultimate.

Além de atuar em casa, o campeão do TUF Brasil 1 tem outro importante motivo que o faz querer a vitória a qualquer custo: manter seu emprego. Vindo de uma sequência de três derrotas, um no contest e apenas uma vitória nos últimos cinco combates, o peso pena sabe que um novo revés pode significar o fim de sua trajetória na empresa. Aos 32 anos, Jason precisará recuperar o ímpeto ‘assassino’ de outrora para afastar a má fase e retornar ao caminho das vitórias.

Ficha técnica do UFC Fortaleza 

DATA E HORÁRIO11/03/2017, a partir de 21h (horário de Brasília)

LOCAL: Centro de Formação Olímpica do Nordeste, Fortaleza, Brasil

TRANSMISSÃO: Canal Combate (todo o card) e Rede Globo (card principal)

CARD PRINCIPAL

Peso médio: Vitor Belfort x Kelvin Gastelum

Peso meio-pesado: Maurício Shogun x Gian Villante

Peso leve: Edson Barboza x Beneil Dariush

Peso mosca: Jussier Formiga x Ray Borg

Peso galo: Bethe Correia x Marion Reneau

Peso meio-médio: Alex Cowboy x Tim Means

CARD PRELIMINAR 

Peso leve: Francisco Massaranduba x Kevin Lee

Peso leve: Michel Trator x Josh Burkman

Peso meio-médio: Serginho Moraes x Davi Ramos

Peso pena: Rony Jason x Jeremy Kennedy

Peso galo: Rani Yahya x Joe Soto

Peso médio: Garreth McLellan x Paulo Borrachinha

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário