Campeão Cormier lamenta falta de desafiantes à altura em sua divisão

Norte-americano ignora brasileiros Glover Teixeira e Mauricio Shogun e só vê outros três lutadores em condições de vencê-lo

D. Cormier (foto) lutará no UFC 210 Foto: Josh Hedges/UFC

D. Cormier (foto) lutará no UFC 210 Foto: Josh Hedges/UFC

O campeão meio-pesado Daniel Cormier fará sua próxima defesa de cinturão no UFC 210, em 8 de abril, em uma revanche contra Anthony Johnson. Apesar de já ter seu desafiante escolhido, o norte-americano não pareceu animado com o futuro da divisão e disse que apenas três atletas podem tirar seu título.

Veja Também

Anderson enfrenta K. Gastelum na China. Foto: Reprodução / UFC
Depois de bater Belfort, Gastelum enfrenta Anderson Silva no UFC Rio
Lombard sofreu acidente de carro (Foto:Jeff Bottari/UFC)
Lutador do UFC sofre acidente de carro: “Um milagre que estou vivo”
GSP na coletiva de anúncio de luta com M. Bisping (FOTO: Josh Hedges/UFC)
GSP reclama de cortes de peso no MMA: ‘Um dia alguém vai morrer’

Segundo Cormier, Jon Jones, o próprio Johnson e Alexander Gustafsson são os únicos lutadores capazes de vencê-lo nos próximos anos e ele pretende enfrentá-los antes de se aposentar, já que tem 37 anos. O norte-americano não citou nomes como Glover Teixeira e Mauricio Shogun, que estão entre os melhores do mundo até 93 kg.

“Você tem eu e o Anthony Johnson, o Jones, quando ele voltar, e o Gustafsson. Mas eu apenas não sei se o resto dos caras podem competir atualmente. Para mim, nem penso nesses caras. Eu planejei minhas três próximas lutas. Vou vencer o Anthony, depois vou vencer Jon Jones e depois vou vencer o Jones de novo. Assim eu terei conquistado tudo o que queria na minha carreira no MMA”, comentou DC ao programa “MMA Junkie Radio”.

Curiosamente, Cormier já enfrentou os três nomes citados por ele. DC perdeu para Jones no início de 2015 e venceu Johnson e Gustafsson no mesmo ano, sagrando-se campeão do mundo em cima de “Rumble”, após Jon Jones ter perdido o título fora do octógono, por problemas com a Justiça norte-americana.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário