Murilo Bustamante responde artigo do site Sherdog

Líder da Brazilian Top Team, Murilo Bustamente, publicou uma carta aberta onde rebate as criticas feitas por Tim Leidecker do site Sherdog. No artigo, o jornalista afirmou que as equipes BTT e Chute Boxe estão caindo de produção, e que as duas equipes começaram a ruir com a extinção do Pride, e citou as saídas das grandes estrelas das duas equipes, como Rodrigo Minotauro e Wanderlei Silva. Veja abaixo, na íntegra, a carta aberta de Murilo Bustamante:


“Em primeiro lugar gostaria de dizer que a presença da Brazilian Top Team, na maioria dos eventos do Pride, era requisitada pela qualidade técnica de seus lutadores, e me sinto à vontade para dizer o mesmo da Chute Boxe. As duas equipes trabalharam sério para moldar seus lutadores para que esses se tornassem parte da elite de profissionais de MMA. Ambas tiveram sucesso nessa empreitada, as duas equipes conseguiram formar não só campeões mundiais, mas diversos atletas de nível. Nessa época, as duas equipes eram conhecidas como as melhores equipes de MMA do mundo, e diversos eventos pagavam para ter lutadores de ambas se confrontando. Dessa forma, as equipes conseguiam dar trabalho para diversos profissionais de luta, tanto atletas como treinadores.

Falando pela BTT, posso dizer que para construir esses grandes lutadores a equipe investia pesado em seu treinamento. Nenhum deles se fez sozinho, os atletas da BTT foram moldados dentro da equipe. Embora algumas pessoas fiquem falando por aí que a equipe exigia ou cobrava muito dos atletas, posso abrir aqui o que a BTT realmente cobrava e continua cobrando até hoje. Dez por cento de empresariamento e dez por cento de treinamento, o que, na minha opinião, é mais do que justo pelo investimento que é feito nos atletas. Antes de fundar a BTT eu pagava 20% de empresariamento e 20% de treinamento, e sempre dei valor ao que meu antigo Mestre me ensinava. Dou a todos os meus atletas a oportunidade de treinar diversas disciplinas, entre elas, Jiu-Jitsu, Muay Thai, Boxe, e Wrestling, sem gastar nada. Investimos no atleta desde o começo de sua carreira.

Esse sistema é tão justo que possibilita ao atleta, em princípio de carreira, que ganha US$200 em suas lutas, ter o mesmo treino que uma estrela do MMA. Este atleta paga US$40 por luta por todo seu treinamento. Digamos que ele lute cinco vezes por ano, ele pagaria, no ano, US$200 pelo seu treino, o que daria em torno de US$17 por mês. Será que isso é muito? Em contrapartida, a equipe o ensina a lutar e se tornar um profissional que pode vir a ganhar US$1.000.000,00 por luta, ou até mais. Se este atleta, infelizmente não tiver sorte na sua carreira como profissional de MMA, ele poderá optar por trabalhar em uma das diversas franquias da equipe, ou mesmo abrir sua própria academia, dando sustento às sua família. Fico realmente furioso quando alguém insinua, na maioria dos casos alguns idiotas maldosos, que a BTT cobrava dinheiro de mais de seus atletas. Cobrávamos e continuamos cobrando a mesma coisa, e desafio qualquer desses faladores a vir trabalhar no Brasil, formar lutadores de ponta aqui e cobrar menos do que nós cobramos.

Posso dizer seguramente que ambas equipes, BTT e Chute Boxe, formarão novos campeões em breve. As duas equipes, na verdade, não tem mais nada a provar, pois quem forma Wanderlei, Shogun, Ninja, Anderson, Pelé, Minotauro, Minotouro, Arona, Paulo Filho, Alan Goes, Murilo Bustamante, e muitos outros, é porque realmente tem capacidade profissional de sobra. Nenhum desses atletas chegaram prontos nas equipes, mas sim foram forjados dentro de suas paredes. Por isso, me desculpe esse cidadão pretensioso que escreveu o artigo em questão, a BTT estava aqui muito antes de você aparecer, e pelo visto vai estar muito depois de você sumir de cena. Pratico Artes Marciais há 31 anos, ensino Jiu-Jitsu há 20 e MMA há 16, posso dizer que amo o que faço e vou fazê-lo até o fim dos meus dias. Quando não puder mais competir, vou continuar ensinando meus atletas usando todo o conhecimento adquirido dentro e fora dos ringues. Por isso, digo aqui que a BTT ainda formará grandes atletas e, se Deus quiser, alguns campeões, mas não vai ser a análise maldosa e pessimista de alguns idiotas que impedirão isso. Aproveito a oportunidade para agradecer à todos os fãs da equipe BTT ao redor do mundo por continuarem acreditando na nossa equipe.

Aqui deixo o meu muito obrigado,
Murilo Bustamante”

Deixe seu comentário