Parceiro de treinos diz que McGregor pode voltar a lutar apenas em 2018

Gunnar Nelson, parceiro de treinos de McGregor, disse que McGregor pode não lutar MMA em 2017

McGregor (esq) e Gunnar (dir) são parceiros de treinos. (Foto: Reprodução/ Divulgação)

McGregor (esq) e Gunnar (dir) são parceiros de treinos. (Foto: Reprodução/ Divulgação)

O retorno de Conor McGregor ao octógono pode estar mais longe do que se imagina. E quem afirma isso é Gunnar Nelson, lutador meio-médio (até 77kg) do UFC e parceiro de treinos do campeão peso leve (até 70kg) do Ultimate. De acordo com o islandês, ‘The Notorious’ pode voltar a lutar MMA apenas em 2018, em virtude de outras prioridades que o irlandês tem no momento.

Veja Também

Mayweather (foto) quer voltar a lutar contra McGregor Foto: Showtime/ Divulgação
Mayweather evita provocar McGregor e elogia trabalho de Dana White
D. White (dir) quer parte do salário de C. McGregor (esq) Foto: Josh Hedges/UFC
UFC quer metade da bolsa de McGregor em luta com Mayweather
McGregor (esq) com John Kavanagh (dir) (FOTO: Sportsfile/Corbis via Getty Images)
Treinador de McGregor ‘anuncia’ luta com Mayweather em pegadinha

“Conor tem muito dinheiro e isso ocupa muito do seu tempo. Tem muitas coisas que ele pode fazer, e ele ficaria bem por um ano inteiro. Ele sempre tem uma carta na manga. No momento, é a luta contra o Mayweather, que parece que vai acontecer. Conor se manterá ocupado de um jeito ou de outro. Ele precisa se manter ocupado de alguma forma, porque ele é um cara que movimenta as coisas. Ele não é de ficar parado em casa. Se não tiver nada para fazer, ele fica maluco. Conor sempre vai inventar algo para se manter ativo. Ele precisa de emoção”, declarou Gunnar, em entrevista à ‘ESPN’ (EUA).

Contudo, embora tenha citado as altas cifras que Conor recebe, Nelson garante que dinheiro não é o único fator que motiva McGregor a lutar.

“Vai depender de algumas coisas. Dinheiro não é a única coisa que importa pra ele, de forma alguma. Ele dá bastante importância ao dinheiro, mas se uma luta o empolga e ele a vê como um grande desafio, como fazer história ou coisas assim, ele vai aceitar”, concluiu.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário