Thiago Pitbull e Do Bronx garantem vitórias brasileiras no UFC 210

Brasileiros espantam a má fase e vencem no card principal do UFC 210, realizado neste sábado (08)

Pitbull derrotou Côté, que se aposentou do MMA (Foto: Josh Hedges/UFC)

Pitbull derrotou Côté, que se aposentou do MMA (Foto: Josh Hedges/UFC)

Chegou ao fim o calvário de Thiago Pitbull e Charles do Bronx no Ultimate. Com atuações seguras e convincentes, os dois brasileiros venceram seus combates contra Patrick Côté e Will Brooks, respectivamente, e garantiram o 100% de aproveitamento do Brasil no UFC 210, realizado neste sábado (08), em Buffalo (EUA).

Veja Também

octogono-ufc-medio-grande
UFC 210 – Daniel Cormier x Anthony Johnson – Resultados
Comier (esq.) e Johnson (dir.) fazem luta principal do UFC 210. Foto: Josh Hedges
Cinco motivos para assistir o UFC 210 neste sábado

De volta ao peso meio-médio, Pitbull mostrou a agressividade de sempre para superar Côté na decisão unânimes dos juízes (triplo 30×27). Com o resultado positivo, ele encerra a série de duas derrotas, e volta a sonhar com uma posição mais alta na divisão até 77kg. No Ultimate desde 2005, ele alcançou seu 14º triunfo na casa, além de ter oito derrotas.

“É muito bom estar de volta. Foi um tempo longo desde que venci a última vez. Na minha tentativa de descer de divisão, perdi em torno de 7 quilos, mas voltar aos meio-médios é muito bom””, declarou Thiago, ainda no octógono.

Côté, por sua vez, perdeu pela 11ª vez como profissional, e agora fica com o cartel de 23-11. Após o combate, o canadense, que chegou a enfrentar Anderson Silva pelo cinturão dos médios, em 2008, anunciou sua aposentadoria do MMA: “Essa é minha última luta, foram 15 anos incríveis. Agradeço a todos e a toda organização”.

A luta 

Os dois atletas iniciaram o duelo com muito estudo e pouca ação, mas o canadense conectava os melhores golpes. Pitbull aplicou uma boa joelho no rosto de Côté, que sentiu e recuou. O brasileiro passou a cercar o oponente no octógono, mas pouco atacava, enquanto Patrick tentava surpreender no contragolpe. Faltando cerca de um minuto para o gongo soar, Thiago conectou um forte cruzado de esquerda em Côté, que foi a knockdown. O cearense rapidamente partiu para cima e tentou liquidar a fatura, mas o round chegou ao fim.

Ciente da desvantagem na etapa inicial, Patrick voltou mais agressivo, caçando o brasileiro no cage. Após alguns instantes de estudo, os dois ensaiaram uma trocação franca, mas logo voltaram a jogar na longa distância. Cote seguiu tomando a iniciativa, enquanto Pitbull respondia no contragolpe. O ‘Predador’ conectou bons golpes no adversário, porém não teve sequência. Côté foi para cima de Thiago, que respondeu com um belo contragolpe, dobrando os joelhos do canadense. No minuto final, os dois trocaram golpes no centro do octógono, sem muita efetividade.

No último round, mais do mesmo: Côté buscando o combate e Thiago respondendo no contragolpe. O canadense aplicou um bom cruzado no rosto do brasileiro e completou com uma tentativa de queda, sem sucesso. Segundos depois, foi a vez de Pitbull surpreender e aplicar boa queda, caindo na guarda do rival. No entanto, os dois pouco fizeram no chão, e logo voltaram para a luta em pé. Com o rosto sangrando bastante, Côté partiu com tudo para cima, porém o brasileiro, confiante na vantagem adquirida no decorrer do combate, evitou a trocação até a buzina soar.

Impecável, Charles do Bronx finaliza Brooks no primeiro round

Do Bronx finalizou Brooks no primeiro round (Foto: Josh Hedges/UFC)

Do Bronx finalizou Brooks no primeiro round (Foto: Josh Hedges/UFC)

Chegou ao fim o calvário de Charles do Bronx. Após ser finalizado em duas oportunidades seguidas, o atleta da Chute Boxe Diego Lima subiu para o peso leve e recorreu ao seu jiu-jítsu afiado para finalizar Will Brooks com um mata-leão aos aos 2m30s do primeiro round e retornar ao caminho das vitórias. O combate abriu o card principal do UFC 210, realizado neste sábado (08), em Buffalo (EUA).

Esse foi o décimo triunfo de Do Bronx no Ultimate, o nono por finalização. Ele ainda soma sete resultados negativos um no contest. Brooks, por sua vez, ainda não conseguiu mostrar a que veio no UFC, e perdeu a segunda em três lutas na organização. Agora, o ex-campeão do Bellator tem um cartel de 18-3.

Na entrevista ainda no octógono, Charles voltou a mostrar interesse em retornar ao peso pena, e garantiu que continua sendo o melhor jiu-jítsu até 66kg.

“Eu não quero ficar nos pesos-leves, quero voltar para minha categoria (penas). Me deem essa oportunidade. Minhas duas últimas fui finalizado, mas sou o melhor jiu-jítsu da minha categoria. Entrou aqui dentro, é pressão o tempo inteiro. Filha, papai está chegando!”, declarou o lutador.

O combate começou com os dois se estudando no centro do octógono, mas Charles surpreendeu e aplicou uma bonita queda, ainda no primeiro minuto. Com o apoio da grade, Brooks conseguiu se levantar, mas foi novamente levado para o chão, com o brasileiro pegando suas costas, em pé. Ciente da boa posição, Do Bronx não desperdiçou a oportunidade e encaixou o mata-leão, obrigando o norte-americano a dar os três tapinhas em desistência.

Myles Jury atropela Mike de la Torre

Jury (esq) teve atuação dominante contra De la Torre (dir) (Foto: Josh Hedges/UFC)

Jury (esq) teve atuação dominante contra De la Torre (dir) (Foto: Josh Hedges/UFC)

De maneira avassaladora, Myles Jury retornou ao octógono após 16 meses e não deu chances para Mike de la Torre, vencendo por nocaute técnico aos 3m30s do primeiro round, em combate válido pela categoria dos penas. Considerado um dos principais prospectos da divisão, ‘Fury’ voltou a vencer após dois tropeços seguidos, e somou a sétima vitória no UFC (16-2 no total). De la Torre vive situação oposta. Com cinco derrotas em sete lutas na organização, o norte-americano de 30 anos corre sério risco de demissão.

Com atuação impecável, Kamaru Usman anula Strickland

Usman (esq) anulou Strickland (dir) (Foto: Josh Hedges/UFC)

Usman (esq) não deu chances para Strickland (dir) (Foto: Josh Hedges/UFC)

Dominante do início ao fim, Kamaru Usman não teve dificuldades para impor seu jogo de pressão durante os três rounds e derrotar Sean Strickland por decisão unânime dos juízes (30×27, 30×26, 30×26). Campeão do TUF 21, Usman venceu a quinta em cinco lutas no UFC, acumulando a décima vitória da carreira, que ainda conta com uma derrota. Já Strickland teve sua sequência de três triunfos interrompida, e sofreu seu segundo revés na organização (18-2 no total).

Shane Burgos mostra boxe alinhado e nocauteia Charles Rosa

Burgos (esq) nocauteou Rosa (dir) no terceiro round (Foto: Josh Hedges/UFC)

Burgos (esq) nocauteou Rosa (dir) no terceiro round (Foto: Josh Hedges/UFC)

Com uma postura bastante confiante e pouco ortodoxa desde o início, o peso pena Shane Burgos mostrou um boxe alinhado e boas combinações em pé para nocautear Charles Rosa aos 1m59s do terceiro round, na sexta luta da porção preliminar. Essa foi a segunda vitória de ‘Hurricane’ no UFC, e a nova em seu cartel perfeito. Rosa, em contrapartida, foi derrotado pela terceira vez em cinco lutas na organização, ficando com 11 triunfos e três reveses como profissional.

Em duelo eletrizante, Cummins supera Blachowicz por pontos

Cummins (esq) venceu por decisão majoritária (Foto: Josh Hedges/UFC)

Cummins (esq) venceu por decisão majoritária (Foto: Josh Hedges/UFC)

Depois de um primeiro round eletrizante, com direito a um knockdown para cada lado, Patrick Cummins recorreu ao seu bom jogo de quedas e neutralizou Jan Blachowicz nos assaltos seguintes, saindo vitorioso por decisão majoritária dos juízes (29×28, 29×28, 28×28), em duelo válido pela categoria dos meio-pesados. Com o resultado positivo, ‘Durkin’ (5-4 no Ultimate) põe fim à sequência de duas derrotas consecutivas, enquanto o polonês (2-4 na franquia) perdeu pela quarta vez em seis oportunidades, o que lhe deixa ameaçado de demissão.

Gillespie aplica nocaute relâmpago em Holbrook

Gillespie nocauteou Holbrook em 21 segundos (Foto: Josh Hedges/UFC)

Gillespie nocauteou Holbrook em 21 segundos (Foto: Josh Hedges/UFC)

Fulminante! Assim pode ser definida a vitória do peso leve Gregor Gillespie sobre Andrew Holbrook, na quarta luta do card preliminar. Com apenas 21 segundos, Gillespie acertou um lindo cruzado certeiro no queixo de Holbrook, que caiu praticamente entregue. Bastaram algumas cotoveladas no ground and pound para sacramentar os três pontos. Esse foi o segundo resultado positivo de Gregor no UFC, que permanece com 100% de aproveitamento em seus combates (8-0), enquanto Holbrook perdeu a segunda em 14 lutas (1-2 no Ultimate).

Estreante Desmond Green quebra a invencibilidade de Josh Emmett 

Green (dir) comemora vitória sobre Emmett (esq) (Foto: Josh Hedges/UFC)

Green (dir) comemora vitória sobre Emmett (esq) (Foto: Josh Hedges/UFC)

Realizando sua estreia no UFC, o peso leve Desmond Green deixou boa impressão em sua primeira luta pela organização. Após 15 minutos equilibrados e com alguns lampejos de trocação, ele derrotou Josh Emmett por decisão dividida dos juízes (29×28, 28×29, 30×27), alcançando sua 19ª vitória como profissional, além de ter quatro derrotas. Já Emmett sofreu o primeiro revés de seu cartel, que agora está com 11-1. Antes, ele vinha de dois resultados positivos na companhia.

Chookagian derrota Aldana em luta equilibrada

Chookagian (dir) bateu Aldana (esq) por decisão dividida (Foto: Josh Hedges/UFC)

Chookagian (dir) bateu Aldana (esq) por decisão dividida (Foto: Josh Hedges/UFC)

No primeiro duelo feminino da noite, melhor para Katlyn Chookagian, que derrotou Irene Aldana por decisão dividida dos juízes (29×28, 28×29, 29×28), em luta bastante movimentada e com bons momentos para ambos os lados. Chookagian, 28 anos, se recuperou da derrota sofrida para Liz Carmouche e venceu a segunda em três lutas na franquia. Aldana por sua vez, amargou o segundo revés seguido e segue sem triunfar no Ultimate.

Bibulatov estreia dominando Jenel Lausa no chão

Bibulatov (dir) estreou com o pé direito no Ultimate. (Foto: Josh Hedges/UFC)

Bibulatov (dir) estreou com o pé direito no Ultimate. (Foto: Josh Hedges/UFC)

Considerado um dos melhores lutadores peso mosca (até 56kg) do mundo, Magomed Bibulatov fez, enfim, sua aguardada estreia no Ultimate. E correspondeu da melhor maneira possível. Com um jogo de quedas eficiente e ground and pound agressivo, o russo dominou Jenel Lausa no solo durante os três rounds e saiu vitorioso na decisão unânime dos juízes (29×26, 29×26, 29×26). Essa foi a 14ª vitória da carreira de Bibulatov, que segue com um cartel com 100% de aproveitamento. Lausa sofreu sua primeira derrota em duas lutas no UFC, a terceira em sua carreira (7-3 no total).

Resultados do UFC 210: 

CARD PRINCIPAL

Peso meio-pesado: Daniel Cormier derrotou Anthony Johnson por finalização (mata-leão) aos 3m37s do R2

Peso médio: Gegard Mousasi derrotou Chris Weidman por nocaute técnico aos 3m31s do R2

Peso palha: Cynthia Calvillo derrotou Pearl Gonzalez por finalização (mata-leão) aos 3m45s do R3

Peso meio-médio: Thiago Pitbull derrotou Patrick Cote  por decisão unânime dos juízes (30×27, 30×27, 30×27)

Peso leve: Charles do Bronx derrotou Will Brooks por finalização (mata-leão) aos 2m30s do R1

CARD PRELIMINAR

Peso pena: Myles Jury derrotou Mike de la Torre por nocaute técnico aos 3m30s do R1

Peso meio-médio: Kamaru Usman derrotou Sean Strickland por decisão unânime dos juízes (30×27, 30×26, 30×26)

Peso pena: Shane Burgos derrotou Charles Rosa por nocaute técnico aos 1m59s do R3

Peso meio-pesado: Patrick Cummins derrotou Jan Blachowicz por decisão majoritária dos juízes (29×28, 29×28, 28×28)

Peso leve: Gregor Gillespie derrotou Andrew Holbrook por nocaute técnico aos 21 segundos do R1

Peso leve: Desmond Green derrotou Josh Emmett por decisão dividida dos juízes (29×28, 28×29, 30×27)

Peso galo: Katlyn Chookagian derrotou Irene Aldana por decisão dividida dos juízes (29×28, 28×29, 29×28)

Peso mosca: Magomed Bibulatov derrotou Jenel Lausa por decisão unânime dos juízes (29×26, 29×26, 29×26)

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário