Anderson Silva descarta Belfort e Rockhold, mas ‘aceita’ Romero e Diaz

Para o brasileiro, enfrentar os ex-campeões não faz sentido. Spider garante que decisão sobre substituto é do UFC

Anderson falou sobre opções para o UFC 212 (Foto: UFC)

Anderson falou sobre opções para o UFC 212 (Foto: UFC)

Mesmo sem adversário, Anderson Silva esteve presente à coletiva de lançamento do UFC 212, evento que ocorre dia 3 de junho, no Rio de Janeiro. O Spider enfrentaria Kelvin Gastelum, mas o duelo caiu quando o norte-americano foi flagrado no exame antidoping por uso de maconha.

Esbanjando bom humor, o brasileiro revelou que não pretende aceitar o desafio de Luke Rockhold, além de não se interessar por uma revanche com Vitor Belfort. Porém, ao ser perguntado sobre Yoel Romero, Anderson admitiu que o duelo fazia sentido.

Veja Também

Anderson (esq) x Rockhold (dir) pode rolar no Rio de Janeiro (Fotos: UFC/Montagem: Super Lutas)
Dana diz que trabalha para fazer Anderson x Rockhold no UFC 212
B. Correia (esq) enfrenta H. Holm (dir) Foto: UFC/Montagem: Super Lutas
Bethe Correia enfrenta ex-campeã Holly Holm na luta principal do UFC Cingapura
Contrato de Jacaré com o UFC chega ao fim neste sábado (FOTO: Jeff Bottari/getty Images)
Empresário revela que Jacaré irá ‘testar o mercado’ após última luta do contrato com o UFC

“Muita gente vai interpretar o que eu vou dizer como arrogância ou prepotência, mas vamos lá. O Vitor Belfort vem de derrota, e eu venho de vitória. Não faz sentido enfrentá-lo. Não tem como superar aquela primeira luta. Essa revanche só seria boa para o Vitor (…) O Rockhold também vem de derrota, mas o Romero seria uma luta interessante, um atleta que já se credenciou a disputar o cinturão, tem todas as qualidades para fazer uma luta pelo título. Seria um grande desafio. Mas vamos aguardar o UFC e ver o que vai acontecer”, comentou Anderson.

Ao ser perguntado sobre a possibilidade enfrentar Nick Diaz novamente, o Spider surpreendeu ao revelar que o norte-americano é uma das opções que vem sendo estudada pelo Ultimate para substituir Gastelum.

“O Nick Diaz é uma luta que faz sentido, porque a primeira foi uma luta sem resultado. Eu respeito muito o Nick Diaz, e essa é uma das lutas que vem sendo cogitada. Seria bacana ver essa luta”, declarou, falando em seguida sobre a possibilidade de uma luta pelo cinturão dos médios, que segurou entre 2006 e 2013.

“Eu não coloco meu foco em 100% nisso, mas se houver uma oportunidade eu vou lutar (pelo título). Até porque, quando entrei no UFC, eu não tinha esse foco e acabou acontecendo. Vou continuar assim até o fim da minha carreira”, encerrou.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário