UFC demite lutador após denúncia de violência doméstica

Michael Graves, participante do TUF 21, foi demitido após ser culpado por agressão contra sua mulher

Graves foi demitido do UFC após agredir sua mulher (Foto: Brandon Magnus/UFC)

Graves foi demitido do UFC após agredir sua mulher (Foto: Brandon Magnus/UFC)

O UFC anunciou nesta segunda-feira (17) a demissão do meio-médio Michael Graves, após o lutador ser culpado em um caso de violência doméstica, ocorrido em novembro de 2016. Na ocasião, Graves agrediu sua mulher com um soco e uma cotovelada durante uma discussão dentro de um carro. Ele chegou a ficar preso durante alguns dias, mas foi liberado após pagar fiança de US$ 5 mil (quase R$ 16 mil pela cotação atual)

Veja Também

Graves foi preso e retirado do UFC São Paulo. Foto: Divulgação/UFC
Adversário de Sérgio Moraes deixa UFC São Paulo após ser preso
Yamasaki explicou porque optou em parar lutar de Jacaré (Foto: Josh Hedges/UFC)
Árbitro se defende por interrupção em luta de Jacaré: ‘Sigo as regras’

Através de um comunicado oficial, a organização se posicionou sobre o caso:

“O UFC exige que todos os atletas atuem de maneira ética e responsável, conforme exigido pela Política de Conduta do Lutador do UFC. O UFC mantém seus atletas ao mais alto padrão e continuará a tomar as medidas apropriadas se e quando for garantido”, dizia um trecho do comunicado.

Membro da academia American Top Team, Graves, de 26 anos, está invicto no MMA profissional, com seis vitórias e um empate. No UFC, o participante do TUF 21 derrotou Vicente Luque e Randy Brown, além de empatar com Bojan Velickovic no UFC 201, em julho de 2016.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário