Justin Gaethje é mais um ex-campeão do WSOF a assinar com o UFC

Norte-americano segue brasileiro Marlon Moraes e deixa organização para lutar pelo Ultimate

Ex-campeão do WSOF, J. Gaethje é o novo peso leve do UFC (Foto: WSOF)

Ex-campeão do WSOF, J. Gaethje é o novo peso leve do UFC (Foto: WSOF)

O UFC parece disposto a “pescar” os principais lutadores do WSOF, enquanto o evento passa por um período de reestruturação. Após assinar com o antigo campeão peso galo da organização, Marlon Moraes, o Ultimate também contratou Justin Gaethje, primeiro e único dono do cinturão peso leve do evento. Há alguns meses, a organização presidida por Dana White já havia assinado com David Branch, que tinha os títulos do peso médio e do meio-pesado do World Series.

O anúncio foi feito pelo próprio presidente do WSOF, o ex-lutador Ray Sefo, que desejou sorte a Gaethje no UFC, anunciando o acordo antes do próprio Ultimate oficializar a assinatura do norte-americano. O atleta agradeceu os votos ao seu ex-chefe, também confirmando que assinou com a principal promoção de MMA do mundo.

Veja Também

Marlon Moraes fará sua estreia no UFC em junho, no Rio. (Foto: Divulgação/WSOF)
Marlon Moraes fala em ‘sonho realizado’ após acerto com o UFC
Cyborg não deixou barato para B. Stann (Foto: UFC)
Após críticas, Cyborg rebate ex-lutador com vídeo de nocaute
Hunt ficou irritado com recentes casos de doping (Foto: Bradley Kanaris/UFC)
Hunt ironiza casos de doping no UFC: ‘Não assinei para enfrentar nenhum macaco bombado’

Invicto na carreira, Gaethje é tido como o principal peso leve do mundo fora do UFC, junto ao atual campeão da categoria no Bellator, Michael Chandler. “The Highlight” tem 17 vitórias em 17 lutas, com 14 nocautes, uma finalização e apenas dois triunfos por decisão. Ele ficou conhecido pelas duas grandes lutas que fez com o peruano Luis Palomino, vencendo ambas por nocaute. Gaethje vem de vitória sobre o brasileiro Luiz Buscapé na estreia do WSOF em Nova York, no dia 31 de dezembro do ano passado.

O WSOF anunciou recentemente que mudará de nome em breve, passando a se chamar Professional Fighters League, e promoverá campeões em formato de torneio. A ideia é que seus lutadores tenham salários mensais, ao invés de bolsas apenas quando lutam.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário