Golpe ilegal interrompe luta entre Poirier e Alvarez no UFC 211

Norte-americanos faziam luta muito emocionante quando joelhada ilegal do ex-campeão acabou nocauteando o 'Diamante'

D. Poirier (foto) apagou com golpe ilegal (Foto: Reprodução/Twitter)

D. Poirier (foto) apagou com golpe ilegal (Foto: Reprodução/Twitter)

A porção preliminar do UFC 211 foi um excelente aperitivo para as principais lutas do evento. Com finalização, nocautes e polêmicas, além de duas “guerras”, os primeiros duelos do show foram recheados de emoção.

Na grande rivalidade da parte preliminar, uma fatalidade acabou interrompendo o que se desenhava em uma das grandes lutas do ano. Dustin Poirier e Eddie Alvarez faziam um combate cheio de reviravoltas, quando o ex-campeão acertou uma joelhada em quatro apoios no “Diamante”, que acabou nocauteado e não pôde continuar. O árbitro Herb Dean interpretou que o golpe solto por Alvarez foi acidental, já que ele não conseguia ver que o adversário estava em quatro apoios. Assim, o duelo ficou sem resultado, ao invés de Poirier vencer por desqualificação, como é comum em casos assim.

Veja Também

S. Miocic (esq) e J. Cigano (dir): encarada tranquila (Foto: Reprodução/Youtube)
Com ‘cinturão de papel’, pesagem do UFC 211 ocorre sem confusões
A.Nunes (foto) enfrenta Shevchenko em julho (Foto: Reprodução/Youtube).
Ultimate anuncia pacotão de lutas com Amanda Nunes e volta de Jones
Garbrandt (esq) e Dillashaw (dir) brigaram no TUF 25. (Foto: Reprodução/Youtube)
Garbrandt revela lesão nas costas e pode deixar luta com Dillashaw

O duelo ficou sem vencedor, mas a expectativa é que haja revanche. Isso porque após o fim da luta, os dois se entenderam, com Poirier pedindo para a plateia não vaiar Alvarez e combinaram uma nova luta.

A LUTA

No primeiro round, muito estudo entre os dois, com Alvarez ainda parecendo sentir os efeitos de sua derrota devastadora para Conor McGregor, em novembro. Inseguro e lento, o ex-campeão aceitava as combinações do adversário e, mesmo tentando fintar entradas de queda, teve muito pouco sucesso. Poirier, por outro lado, conectou vários golpes duros, além de chutes altos e no corpo do rival, vencendo tranquilamente o assalto inicial.

Na virada para o segundo round, o córner de Alvarez pedia mais ação e agressividade. O ex-campeão atendeu e começou pressionando e tentando a queda. Poirier caiu e levantou imediatamente. Logo depois, conectou uma sequência que deixou o adversário tonto. Com o olho inchado e sangrando muito, além de quase nocauteado, Alvarez foi para o tudo ou nada. Soltando golpes a esmo, acabou achando o queixo de Poirier, que também balançou.

Ao tentar quedar o “Diamante”, o ex-campeão ficou em uma posição boa para soltar joelhadas na cabeça do rival, que estava em três apoios (agora legal no Texas, onde ocorre o UFC 211). Mas ao sentir um dos golpes, Poirier colocou a outra mão no chão, ficando em quatro apoios e a próxima joelhada que veio acabou nocauteando-o. O golpe ilegal foi decisivo, mas interpretado como acidental.

Casey x Aguilar

O terceiro combate foi também bastante emocionante. A norte-americana Cortney Casey surpreendeu a mexicana Jessica Aguilar e venceu por decisão. No primeiro round, Casey levou a melhor em pé, usando combinações e sua envergadura para neutralizar “JAG”, que há três anos era a melhor peso palha do mundo. A mexicana chegou a conseguir uma queda, mas o domínio de “Iron Cast” já estava se desenhando.

No segundo assalto, a norte-americana conseguiu fazer dano na adversária jogando por baixo. Sempre que Aguilar conseguia uma queda e levantava para tentar conseguir um ângulo para o ground and pound, Casey usava as longas pernas para dar chutes e “pedaladas”. Uma delas magoou o rosto da mexicana, que começou a sangrar muito. O terceiro round foi de domínio ainda maior de Cortney, que voltou a dominar em pé e quase conseguiu o nocaute em mais de uma oportunidade. No fim, venceu os três rounds nas papeletas de todos os juízes laterais.

Sherman x Coulter

Após a vitória de James Vick sobre Marco Polo Reyes, por nocaute, os pesos pesados Chase Sherman e Rashad Coulter fizeram uma das lutas mais emocionantes de 2017. Sherman estava mais técnico e preparado, já que o adversário aceitou a luta com duas semanas de antecedência. Com isso, conseguiu encaixar boas combinações e chutes baixos, que minaram a perna esquerda de Coulter. O norte-americano acabou o primeiro round quase sem conseguir se equilibrar.

No segundo assalto, porém, mostrou bastante coração e se manteve na luta, mesmo com a perna severamente machucada. Coulter encaixou bons golpes e deixou Sherman tonto em algumas oportunidades. Mais inteiro, porém, Chase acabou levando a melhor ao soltar uma cotovelada, apagando definitivamente Rashad.

Outros combates

A noite começou com mais uma vitória rápida do russo Gadzhimurad Antigulov. A exemplo de seu primeiro triunfo no UFC, contra Marcos Pezão, o meio-pesado finalizou Joachim Christensen no primeiro assalto, dessa vez com um mata-leão. No segundo duelo do UFC 211, equilibrada batalha entre Enrique Barzola e Gabriel Benítez. Melhor para o peruano Barzola, que manteve o mexicano Benítez sob controle com seu jogo de quedas e pressão em pé, vencendo por decisão.

Depois, foi a vez de Jason Knight conseguir um excelente nocaute sobre Chas Skelly, melhorando seu cartel no UFC para quatro vitórias e uma derrota. Após dar um show de guarda ativa no primeiro round, com direito a tentativa de gogoplata, o norte-americano apagou o adversário no terceiro assalto e se colocou perto de entrar no ranking do peso pena.

 

Resultados das preliminares do UFC 211

Peso leve: Eddie Alvarez x Dustin Poirier – Sem resultado (golpe ilegal, acidental)

Peso pena: Jason Knight venceu Chas Skelly por nocaute técnico aos 39s do R3

Peso pesado: Chase Sherman venceu Rashad Coulter por nocaute aos 3m36s do R2

Peso leve: James Vick venceu Marco Polo Reyes por nocaute técnico aos 2m39s do R1

Peso palha: Cortney Casey venceu Jessica Aguilar por decisão unânime (3x 30-27)

Peso pena: Enrique Barzola venceu Gabriel Benítez por decisão unânime (3x 29-28)

Peso meio-pesado: Gadzhimurad Antigulov venceu Joachim Christensen por finalização (mata-leão) aos 2m21s do R1

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário