Campeã De Randamie indica volta ao peso galo e critica Cyborg

Holandesa explica razões para estar evitando Cris Cyborg em duelo que valeria o título até 66 kg. do UFC

G. De Randamie evita Cyborg (Foto: Reprodução/Facebook Iron Lady)

G. De Randamie evita Cyborg (Foto: Reprodução/Facebook Iron Lady)

A holandesa Germaine De Randamie voltou a dar pistas de que seu futuro está longe do peso pena, categoria da qual ela é a campeã do UFC. Criticada por aparentemente estar evitando um duelo com a brasileira Cris Cyborg, GDR indicou que pretende voltar ao peso galo, sua categoria original.

Veja Também

A. Magaña foi expulsa de sua academia (Foto: Reprodução Instagram/A. Magaña)
Norte-americana é expulsa de academia após briga com Cris Cyborg
Volvo (esq) e Struve (dir) se enfrentam em setembro (Foto: Divulgação/UFC)
Volkov e Stefan Struve se enfrentam na luta principal do UFC Holanda
Moicano (esq) e Ortega (dir) se enfrentam em julho (Foto: Facebook - Montagem: SL)
Renato Moicano e Brian Ortega fazem duelo de invictos no UFC 214

Em postagem nas suas redes sociais, De Randamie disse que ela já havia planejado voltar à divisão até 61 kg. depois do duelo contra Holly Holm, no UFC 208. Na ocasião, a holandesa surpreendeu e venceu a norte-americana tornando-se a primeira campeã peso pena da história do Ultimate.

“Durante as negociações da luta com Holly Holm, disse antecipadamente que depois dela queria retornar à minha categorial de peso natural, de 61 quilos. Minha missão ainda não foi concluída. O UFC me prometeu que isso não seria problema e que posso apenas voltar à minha categoria de peso”, comentou a “Iron Lady”.

Mesmo com o desabafo, o nome de Cyborg segue como uma sombra na carreira de De Randamie e ela explicou detalhes das negociações entre as duas e negou que esteja evitando um duelo com a brasileira por medo.

“A luta entre mim e Cris Cyborg me foi oferecida em novembro passado. Mesmo com todas as reservas a ela, aceitei a luta. Cris Cyborg rejeitou porque não poderia bater os 66 quilos em 12 semanas. Um mês depois, ela foi visitada pela USADA e não passou no teste. O resto da história é conhecido. Minha razão para rejeitar a luta agora não tem nada a ver com medo. Acredito que, se você quiser fazer esportes, você faz isso sem qualquer interferência em sua massa muscular. Eu sempre treinei, sempre cuidei da minha comida e coloquei 18 anos da minha vida nos esportes sem usar algo que não é permitido”, ressaltou a holandesa.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário