Gustafsson diz que ficaria feliz com ‘furada de fila’ de Manuwa

Sueco e inglês treinam juntos e estão disputando nova chance de título peso meio-pesado do UFC

A Gustafsson (esq) treina com J. Manuwa (dir) Foto: Reprodução Facebook Jimi Manuwa

A Gustafsson (esq) treina com J. Manuwa (dir) Foto: Reprodução Facebook Jimi Manuwa

O título meio-pesado do UFC estará em disputa novamente no UFC 214, do dia 29 de julho, quando o campeão Daniel Cormier enfrenta o desafiante Jon Jones. Para além desse duelo, porém, dois nomes estão fortes na briga por chance pelo cinturão: Alexander Gustafsson e Jimi Manuwa.

O sueco impressionou ao dominar Glover Teixeira e nocautear o brasileiro no quinto round do duelo no UFC Estocolmo. Já o inglês Manuwa vem de duas vitórias por nocaute e terá a oportunidade de conseguir um terceiro triunfo seguido contra Volkan Oezdemir, também no UFC 214. Companheiros de treino, Gustafsson e Manuwa não entram em competição pela chance e “The Mauler” garante que ficaria feliz se Manuwa “furar a fila” e garante que não o enfrentaria mais – os dois lutaram antes de serem do mesmo time, com vitória do sueco.

“Não falei com Dana (White, presidente do UFC) ainda, mas vamos ver o que acontece. Se Jimi conseguir, vou ficar feliz por ele. Vamos ver o que acontece (…) Eu provavelmente teria lutar com outro, nós não vamos nos enfrentar. Somos irmãos agora, treinamos duro juntos. É assim que lidamos com as coisas. Ficarei contente se ele conseguir a luta”, comentou Gustafsson, em entrevista ao programa “The MMA Hour”, garantindo que espera um confronto contra Jon Jones no futuro, mas que irá torcer por Cormier.

“Estou animado para assistir a essa luta, e, honestamente, eu gosto de DC. Para mim, ele é um campeão digno, é um cara legal. Espero que ele vença, mas eu não rejeitaria uma luta contra Jon Jones. Essa é a luta que as pessoas querem ver, e eu vou lutar com ele. Então, vamos ver o que acontece. É uma das lutas que você realmente quer. Eu quero essa luta, os fãs querem e sei que ele também quer. Então, sim, provavelmente (vão se enfrentar em nova oportunidade)”, encerrou.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário