Lutador é assassinado após ter sua casa invadida nos Estados Unidos

Aaron Rajman treinava na American Top Team, mesma academia de Amanda Nunes e Júnior Cigano, entre outros brasileiros

Rajman (dir) morreu aos 25 anos (Foto: Reprodução/Facebook/Aaron Rajman)

Rajman (dir) morreu aos 25 anos (Foto: Reprodução/Facebook/Aaron Rajman)

O lutador de MMA Aaron Rajman morreu, na última terça-feira (4), após uma invasão de bandidos em sua casa, em Boca Ratón (EUA). O norte-americano foi assassinado após discussão com os invasores. Ele treinava na American Top Team, uma das maiores academias do mundo e casa de nomes relevantes do esporte, como a campeã peso galo do UFC, Amanda Nunes, o ex-campeão peso pesado Júnior Cigano, além de Joanna Jedrzejczyk, dona do cinturão peso palha feminino.

Veja Também

Ronda Rousey revela que teve casa assaltada por skatistas
Família diz que Matt Hughes já respira sem ajuda de aparelhos

De acordo com informações do jornal norte-americano “Sun Sentinel”, investigadores ainda não têm suspeitos da morte de Rajman, que teve sua casa invadida na segunda-feira e morreu no dia seguinte. Pelo menos um tiro acertou em cheio o lutador, segundo a polícia de Palm Beach.

No MMA, Rajman, que tinha 25 anos, não havia se destacado e tinha um modesto cartel com duas vitórias e duas derrotas. Ele vinha de revés por nocaute técnico para Luis Alvarez e não lutava desde maio do ano passado.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário