Lutador é assassinado após ter sua casa invadida nos Estados Unidos

Aaron Rajman treinava na American Top Team, mesma academia de Amanda Nunes e Júnior Cigano, entre outros brasileiros

Rajman (dir) morreu aos 25 anos (Foto: Reprodução/Facebook/Aaron Rajman)

Rajman (dir) morreu aos 25 anos (Foto: Reprodução/Facebook/Aaron Rajman)

O lutador de MMA Aaron Rajman morreu, na última terça-feira (4), após uma invasão de bandidos em sua casa, em Boca Ratón (EUA). O norte-americano foi assassinado após discussão com os invasores. Ele treinava na American Top Team, uma das maiores academias do mundo e casa de nomes relevantes do esporte, como a campeã peso galo do UFC, Amanda Nunes, o ex-campeão peso pesado Júnior Cigano, além de Joanna Jedrzejczyk, dona do cinturão peso palha feminino.

Veja Também

Ronda pode ir para o telecatch (Foto: Reprodução-Facebook UFC)
Ronda Rousey revela que teve casa assaltada por skatistas
M. Hughes segue internado (Foto: Reprodução/Instagram/matthughes9x)
Família diz que Matt Hughes já respira sem ajuda de aparelhos

De acordo com informações do jornal norte-americano “Sun Sentinel”, investigadores ainda não têm suspeitos da morte de Rajman, que teve sua casa invadida na segunda-feira e morreu no dia seguinte. Pelo menos um tiro acertou em cheio o lutador, segundo a polícia de Palm Beach.

No MMA, Rajman, que tinha 25 anos, não havia se destacado e tinha um modesto cartel com duas vitórias e duas derrotas. Ele vinha de revés por nocaute técnico para Luis Alvarez e não lutava desde maio do ano passado.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário