Holloway exalta Aldo e pede estátua no Brasil: ‘Maior de todos’

Campeão peso pena disse ter muito respeito por tudo que o brasileiro fez em sua carreira, mas disse que buscará seu recorde

M. Holloway (foto) falou sobre legado de Aldo (Foto: Reprodução Facebook ufc)

M. Holloway (foto) falou sobre legado de Aldo (Foto: Reprodução Facebook ufc)

A vitória arrasadora de Max Holloway sobre José Aldo em nada diminuiu o legado do ex-campeão brasileiro. Quem garante é o próprio Holloway, que rendeu extensas homenagens ao rival após o segundo encontro entre os dois, realizado no UFC 218 do último sábado. De acordo com o havaiano, os brasileiros deveriam erguer uma estátua de Aldo, em homenagem a tudo que o lutador fez para o esporte no país.

Veja Também

M. Holloway é favorito para revanche (Foto: Reprodução Twitter UFC_CA)
Holloway repete a dose, volta a vencer José Aldo e defende cinturão no UFC 218
Holloway (dir.) voltou a vencer Aldo no UFC 218. Foto: Reprodução / Facebook UFC
Vídeo: Assista os melhores momentos de Max Holloway x José Aldo
Aldo volta contra Lamas (Foto: Reprodução Facebook UFC)
Dana White cogita aposentadoria de Aldo, mas crava: ‘Não tem que provar nada a ninguém’

Em entrevista coletiva após novo triunfo sobre o brasileiro, Holloway revelou que pretende alcançar o número de defesas de cinturão de Aldo, que defendeu seu título peso pena sete vezes no total.

“Ouvi que a motivação de Aldo para essa luta era a sua filha. Eu sou pai e entendo. Mas ele não precisa provar nada para ninguém. Esse cara é um dos maiores de todos os tempos. Deveria haver estátuas para esse cara no Brasil. Ele é o maior de todos os tempos, uma lenda, e eu ainda tenho um longo caminho pela frente. Ele tem sete ou oito defesas de cinturão. Falta muito para eu alcançá-lo. Números não mentem. Homens e mulheres mentem, mas os números, não. Tenho muito respeito por ele, por sua família, sua equipe e pelo Brasil, mas vou atrás do seu recorde”, garantiu Holloway, que prometeu priorizar a defesa do seu título às chamadas lutas por dinheiro.

“Defender seus cinturões é o que os campeões fazem. As pessoas dizem que você não é um campeão até defender seu cinturão. Quero trazer estabilidade para os pesos-penas. Levei dez lutas para chegar ao cinturão interino, e onze para chegar ao cinturão linear. Não quero que ninguém passe por isso. Quero fazer como Demetrious Johnson (no peso-mosca): eles chegam, batem de frente comigo e voltam para o fim da fila. “Boa tentativa. Continue assim…”. Hoje estou concentrado em viver a vida de um campeão. Quero ser o campeão peso pena por muito tempo, e ver meu nome por toda parte. Depois de muito tempo, penso em fazer lutas de exibição para juntar mais algum dinheiro”, prometeu.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário