UFC 146: Cigano atropela Mir e defende cinturão

Assim como prometido, brasileiro nocauteou Frank Mir no segundo round

Júnior Cigano prometeu e cumpriu! Assim como tinha anunciado na coletiva de imprensa, o brasileiro não tomou conhecimento de Frank Mir e nocauteou o norte-americano de maneira impetuosa no segundo round na luta principal do UFC 146, evento que acontece neste sábado (26), em Las Vegas, nos Estados Unidos. Com a vitória, o brasileiro defendeu pela primeira vez o cinturão de pesos pesados do UFC.

Apesar da vitória de Cigano, o evento não foi bom para os demais brasileiros no card. Glover Teixeira até estreou no Ultimate com vitória sobre Kyle Kingsbury, mas Antonio Pezão, Diego Brandão e Edson Barboza acabaram derrotados por Cain Velasquez, Darren Elkins e Jarmie Varner, respectivamente

Júnior Cigano não tomou conhecimento de Frank Mir e defendeu o cinturão do UFC. Foto: Josh Hedges

 Cigano defende cinturão
Com a responsabilidade de defender o cinturão do UFC pela primeira vez, Júnior Cigano mostrou que não sentiu a pressão e não tomou conhecimento de Frank Mir, adversário que venceu Rodrigo Minotauro, seu mentor, em duas oportunidades.

Nos primeiros movimentos da luta, Mir quis evitar a trocação de Cigano e logo buscou a queda. Mas usando a grade como apoio, o brasileiro conseguiu evitar de ser derrubado e logo em seguida deu início ao castigo. Com o já conhecido boxe, Júnior conectou bons na linha de cintura e no rosto de Mir.

No final do primeiro round, veio o primeiro grande momento do brasileiro. Com uma sequência de socos, Mir foi ao chão e Cigano, ciente do perigoso jiu-jitsu de Frank, mandava o oponente se levantar. Já no segundo round, Júnior continuou dominando a disputa e conseguiu mais dois knockdowns em Mir, que já parecia batido.

Depois de derrubar o adversário, Cigano deu as costas e mandou o norte-americano se levantar. Como Frank se levantava sentindo os golpes, o brasileiro voltou para o castigo por cima e forçou o árbitro a encerrar a disputa.

Velasquez domina luta e vence Pezão
 Cain Velasquez provocou no UFC 146 porque é um dos melhores pesos pesados da atualidade. Diante de Antonio Pezão, que foi convocado as pressas para substituir Frank Mir na segunda luta mais importante da noite, o norte-americano de ascendência mexicana não tomou conhecimento do brasileiro.

Pezão começou a luta soltando um chute, que foi bloqueado por Velasquez que buscou a queda em seguida. A partir deste momento, Cain aplicou vários cotoveladas no brasileiro. Com o atleta tupiniquim sangrando muito, devido aos golpes sofridos, o árbitro interrompeu a disputa e pediu para os médicos analisarem o ferimento.

De volta ao combate, Velasquez continuou o castigo. Sem conseguir enxergar Cain devido ao sangue no olho, Pezão foi presa fácil para as potentes cotoveladas. No único momento que Pezão tentou se levantar, Velasquez aproveitou o momento, chegou as costas e continuou o castigo até o árbitro interromper a disputa.

Diego Brandão começa com tudo, mas Elkins se recupera e vence
Depois de vencer o TUF 14, o reality show do UFC, Diego Brandão começou com tudo pra cima de Darren Elkins. Com direito a show, o brasileiro conectou potentes golpes, joelhada voadora e até um superman punch (soco voador). Mas um erro no segundo round pode ter custado a luta para o atleta de Manaus.

Diego tentou aplicar um chute e acabou escorregando. Neste momento, Elkins foi pra cima e ficou durante todo o segundo assalto por cima. O norte-americano evoluiu posições, montou e aplicou vários golpes no brasileiro.

Já no terceiro round, Elkins seguiu a receita no assalto anterior. Bastou Diego tentar um chute para agarrar a perna do brasileiro e derrubar. Darren manteve a luta por cima até os instantes finais da luta Faltando 40 segundos para o fim, Diego conseguiu reverter a posição e aplicou fortes socos por cima. Mas a reação teve início tarde demais. Ao final dos 15 minutos, os três juízes laterias deram a vitória para Darren Elkins (29×28, 29×28, 29×28)

Edson Barboza é surpreendido por Varner
Vindo de vitórias impressionantes no UFC, Edson Barboza viu sua ascensão na organização parar diante de Jamie Varner. O brasileiro começou soltando chutes na perna de Varner, que não se intimidou e respondeu com um boxe alinhado. Depois de uma combinação de socos, o norte-americano derrubou Barboza e ficou por cima aplicando alguns socos, mas quando o brasileiro tentou se levantar veio o castigo. Jamie aproveitou o momento e aplicou vários socos em Edson que caiu novamente.

Com vários socos por cima, o árbitro interrompeu a disputa e decretou nocaute técnico a favor de Jamie Varner.

Glover estreia com o pé direito no UFC
O primeiro brasileiro a subir no octógono esperou muito tempo por este momento. Depois de lutar para conseguir o visto de entrada nos Estados Unidos, Glover Teixeira mostrou porque merecia a oportunidade de lutar no UFC.

Diante de Kyle Kingsbury o brasileiro não deu chances para o norte-americano. Logo no início da luta, Glover aplicou um potentíssimo uppercut que levou Kungsbury a knockdown. Sem perder tempo, o brasileiro foi pra cima, passou a guarda e encaixou um justo katagatame. Sem defesa, o norte-americano desistiu e Glover estreou com o pé direito no UFC.

Confira abaixo os resultados completos do UFC 146:

Card principal:
Júnior Cigano derrotou Frank Mir por nocaute técnico no R2;
Cain Velasquez derrotou Antonio Pezão por nocaute técnico no R1;
Roy Nelson derrotou Dave Herman por nocaute noR1;
Stipe Miocic derrotou Shane Del Rosario por nocaute técnico no R2;
Stefan Struve finalizou Lavar Johnson com um armlock no R1;

Card preliminar:
Darren Elkins derrotou Diego Brandão por decisão unânime dos juízes;
Jamie Varner derrotou Edson Barboza por nocaute técnico no R1;
C.B. Dollaway derrotou Jason Miller por decisão unânime dos juízes;
Dan Hardy derrotou Duane Ludwig por nocaute técnico no R1;
Paul Sass finalizou Jacob Volkmann com um triângulo no R1;
Glover Teixeira finalizou Kyle Kingsbury com um katagatame no R1;
Mike Brown derrotou Daniel Pineda por decisão unânime dos juízes;

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário