Gustafsson afirma que Chimaev passaria com facilidade por Usman e vê sueco com status de lenda do MMA

Parceiro de treinos da estrela do UFC aposta no talento do jovem vê aposta na prateleira de grandes nomes na história do esporte

A. Gustafsson e K. Chimaev são parceiros de treinos na Allstars Training. Foto: Reprodução/Instagram

Apontado como uma das principais apostas para o futuro do UFC, Khamzat Chimaev deu show em todas as quatro vezes em que subiu no octógono. Aposta da organização, o sueco é, por anos, acompanhado de perto por Alexander Gustafsson e, para o meio-pesado (até 93kg.), o jovem não é apenas uma promessa. Em entrevista à ‘ESPN’, o antigo rival de Jon Jones garantiu que o companheiro de treinos deve alcançar o status de lenda do MMA.

PUBLICIDADE:

Veja Também

“Sua trocação é como a de um meio-pesado. Ele bate forte, é muito explosivo. Seu boxe é muito rápido. A velocidade vem com força e boa precisão. Se você não ficar firme, já vi esse cara nocautear pessoas apenas com um jab no treinamento”, disse Gustafsson, que, junto com Khamzat e outros lutadores, integra a ‘Allstars Training’.

A admiração em Chimaev por parte de Alexander não para por aí. Segundo o antigo desafiante ao cinturão dos meio-pesados do Ultimate, o sueco teria capacidade de atropelar Kamaru Usman em eventual confronto nos meio-médios (até 77kg.).

PUBLICIDADE:

“Acho que ele colocaria Kamaru Usman para dormir, honestamente. Se ele tocar no queixo, tem grandes chames de Usman apagar. Gosto do Kamaru, é um grande campeão e está quebrando recordes, (…) mas não o vejo suportando os socos do Khamzat”, garantiu.

Por fim, Gustafsson não se escondeu e fez a previsão. Para o veterano, Chimaev tem a capacidade de chegar ao topo do MMA e fazer história no esporte.

PUBLICIDADE:

“Conheci muitos atletas de MMA, lutadores e ele está ‘fora da curva’, por conta de sua dedicação. Ninguém treina como ele. Nunca vi ninguém assim. Lutadores treinam, têm os períodos de treinamentos para um confronto. Esse cara não se cansa, não sente dor. Ele vai além”, encerrou.

PUBLICIDADE:

Acostumado a sempre se manter ativo, Khamzat viveu um 2021 atípico. Na temporada passada, o atleta, que sofreu com sequelas da Covid-19, chegou a anunciar a aposentadoria precoce no MMA por não se sentir apto a competir em alto nível.

O lutador, no entanto, conseguiu se recuperar e, no UFC 267, voltou a espantar parte dos fãs com seu talento. Na ocasião, o sueco finalizou Li Jingliang sem ao menos ser tocado e chegou de vez no top 15 dos meio-médios do Ultimate.

Podcast #45: Volkanovksi sem desafiante e brasileiros no 1º UFC do ano