Técnico de Kattar admite uso do wrestling pelo pupilo para frear Chikadze: ‘Isso é MMA’

Responsável por ‘afiar’ Calvin para o UFC Las Vegas 46, Tyson Chartier não esconde estratégia para a luta principal deste sábado

T. Chartier (dir.) é um dos treinadores de C. Kattar (esq.). Foto: Reprodução/Instagram

De volta após um ano depois da dura derrota sofrida para Max Holloway em 2021, Calvin Kattar quer mostrar resultado na luta principal do UFC Las Vegas 46. Técnico do peso pena (até 65,7kg.), Tyson Chartier garante ter a receita perfeita para que o pupilo saia vencedor no confronto contra o perigoso Giga Chikadze. Para o treinador, o aluno deve usar o wrestling e frear a trocação de excelência do rival.

PUBLICIDADE:

Veja Também

“Calvin já lutou wrestling, então, é melhor na área. Temos um ótimo plano para ser colocado em prática. Se você observar o que Edson (Barboza) fez (na derrota para Chikadze), ele tentou lutar kickboxing contra um gigante na modalidade. Não é a melhor saída. Outros atletas que mesclaram um pouco, tiveram sucesso”, disse Chartier, em entrevista ao ‘BJPenn.com’.

Mesmo entendendo que Kattar pode levar a melhor na luta agarrada, o treinador garante que o pupilo tem condições de atuar de igual para igual contra Giga. Ainda assim, Tyson fez questão de afirmar que a equipe não deve se arriscar quando se trata de artes marciais mistas.

PUBLICIDADE:

“Eu acho que Calvin poderia trocar com ele (Chikadze) por 25 minutos e ter chances de vitória? Com certeza. No fim das contas, isso não é uma luta do GLORY. É um duelo de MMA. Vamos ver como a luta se desenrola e se teremos a opção de levar para o chão. Talvez não precisemos”, encerrou.

Neste fim de semana, Kattar e Giga fazem um confronto importante para a divisão dos penas. O vencedor pode dar um passo importante rumo a uma futura disputa de cinturão.

PUBLICIDADE:

Podcast #45: Volkanovksi sem desafiante e brasileiros no 1º UFC do ano