Glover Teixeira desabafa sobre erro contra Jiri Prochazka e volta a pedir revanche ao algoz do UFC 275

Superado em 11 de junho, brasileiro fala com exclusividade ao SUPER LUTAS sobre perda de cinturão diante do tcheco

Poucos dias após a derrota diante de Jiri Prochazka no UFC 275, Glover Teixeira abriu o jogo sobre o compromisso. Em entrevista exclusiva ao SUPER LUTAS, o mineiro falou sobre o confronto que rendeu a perda do cinturão dos meio-pesados (até 93kg.) do Ultimate. Aos 42 anos, o veterano pede revanche.

PUBLICIDADE:

Antigo campeão, Glover viveu uma verdadeira batalha no octógono em 11 de junho. Na ocasião, o brasileiro vencia o confronto contra Prochazka, mas acabou surpreendido com uma finalização nos segundos finais do embate.

Análise da luta

Com menos de uma semana da disputa, Teixeira não se esconde de analisar o confronto. Embora o resultado não tenha sido o esperado, o brasileiro vê com bons olhos sua performance contra o novo campeão.

PUBLICIDADE:

“Eu fiquei satisfeito com a performance durante quatro rounds e meio. Quase cinco rounds. (…) Foi uma luta muito top. (…) Ele (Prochazka) mostrou coração e conseguiu ganhar. (…) A estratégia era botar para baixo e finalizar. (…) Se eu lutar assim na minha próxima luta e fazer os rounds completos, vou sair como campeão. Não pode ter o vacilo”, garantiu.

Revanche imediata

Mesmo com o resultado negativo, Teixeira foi responsável por impor o maior desafio na carreira de Prochazka. Sem o título, o mineiro afirma que buscará uma revanche imediata contra o novo campeão dos meio-pesados.

PUBLICIDADE:

“O ‘Joinha’ (Jorge Guimarães, empresário) está trabalhando nisso. O UFC já sabe, o Dana já sabe. Os fãs também querem, toda a galera que gosta da luta”, afirmou.

PUBLICIDADE:

Acertos e erros

Na busca por retomar o trono da divisão até 93kg., Glover já sabe apontar os acertos e erros no embate. O atleta, então, fala sobre os pontos altos e baixos no UFC 275.

“O acerto foi ficar com a estratégia. A estratégia era botar para baixo e finalizar. (…) Ter mais calma. O momento que eu fui na guilhotina (último round), ele tinha o pescoço no meu braço. Eu pulei querendo finalizar, meio precipitado”, encerrou.

Podcast #68: Adesanya, Poatan e Volkanovski: Tudo sobre o UFC 276