McGregor cumpre ‘profecia’, fatura o cinturão com nocaute em segundos e deixa Aldo chorando

Irlandês venceu em apenas 13 segundos; Rockhold destrona Weidman na luta co-principal

Conor recebe o cinturão linear dos penas do Ultimate. Foto: Josh Hedges/UFC

Conor recebe o cinturão linear dos penas do Ultimate. Foto: Josh Hedges/UFC

Muito se falou. Muito se especulou. Foram meses de expectativa. Muito se promoveu. Mas a luta foi decidida rapidamente. Conor McGregor não precisou de mais do que alguns segundos para despachar José Aldo e faturar o cinturão linear dos pesos penas na luta principal do UFC 194, neste sábado (12), em Las Vegas (EUA).

Veja Também

Jacaré é superado em decisão polêmica e perde chance de disputar o título
Campeão do TUF vence no UFC 194 e faz apelo por vítimas do rompimento de barragem

Entre o soar do gongo e o fim do combate foram apenas 13 segundos. José Aldo avançou, desviou de um direto do rival, tentou um ataque e foi nocauteado com um cruzado de esquerda preciso no queixo. McGregor ainda acertou o rival com algumas marteladas no chão para cumprir sua “profecia” e tomar o título.

Completamente desolado, Aldo chorou muito e, visivelmente abalado pelo revés, prometeu dar a volta por cima. “Ele jogou um direto no meu peito, eu esperava isso e quando eu fui atacá-lo ele acertou um bom direto. Eu acho que a gente tem que partir para um revanche, eu acho que não termina aí. Ele acertou um bom golpe e conseguiu acabar com a luta. As provocações dele não afetaram nada, eu fico com a cabeça bem tranquila. Eu chego lá dentro e tento fazer meu trabalho. Eu estou esperando a revanche e da próxima vez estarei bem mais preparado e vou reconquistado o que é meu”, disse o brasileiro.

Após o triunfo, o novo campeão deu a receita do seu sucesso. “Ninguém vai tirar isso de mim. Ele é poderoso. Ele é rápido. Mas precisão vence o poder e Conor vence a velocidade. Eu sinto muito pelo José Aldo, ele é um campeão fenomenal, merecia ir um pouco mais além, mas no fim das contas, a precisão vence o poder. E é assim que as coisas acontecem”, garantiu. “Não é força, é precisão. Não tem velocidade, é timing. É isso que acontece e a minha mão esquerda foi levantada. Agora acabou antes mesmo de eu me dar conta, foi um grande momento e eu curti todo o processo”, completou.

Com o revés, José Aldo agora tem um cartel de 25 vitórias e duas derrotas – e sofreu seu primeiro revés sobre a bandeira da Zuffa, nos eventos WEC e Ultimate. Já McGregor, por sua vez, manteve-se invicto no octógono e ampliou seu retrospecto para 19 vitórias e duas derrotas.

Com direito a banho de sangue, Rockhold destrona Weidman

Ground and pound de Rockhold castigou Weidman. Foto: Josh Hedges/UFC

Ground and pound de Rockhold castigou Weidman. Foto: Josh Hedges/UFC

Após a derrota de Ronda Rousey para Holly Holm, caiu o segundo campeão invicto do UFC consecutivo. Mesmo aparecendo como azarão, o ex-detentor do título do Strikeforce Luke Rockhold teve uma atuação exemplar e destronou Chris Weidman, impingindo a primeira derrota da carreira do algoz de Anderson Silva.

No primeiro round, o campeão começou querendo resolver a parada rapidamente e colocou muita pressão pra cima do desafiante. Porém, o cenário mudou com uma guilhotina de Rockhold, que segurou Weidman na posição por muito tempo, mas sem tenta agressividade. No fim da parcial, o atleta da AKA sofreu uma queda, mas terminou por cima.

Logo na abertura do segundo round, Weidman sofreu um knockdown e foi incomodado com chutes na linha de cintura aplicados pelo desafiante. A parcial transcorreu quase que integralmente de pé, com ligeira vantagem para o desafiante.

No terceiro round, Weidman até voltou melhor, mas tentou surpreender Rockhold com um chute semelhante ao aplicado por Vitor Belfort sobre o norte-americano e acabou por baixo, sofrendo uma série de golpes avassaladora no ground and pound, com cotoveladas que abriram um corte profundo em sua testa.

Muitos acreditavam que o duelo poderia ter sido interrompido no assalto anterior, mas a luta durou pouco adentrando no quarto assalto. Bastou que Rockhold caísse por cima novamente e uma nova saraivada de golpes no ground and pound forçou o árbitro Herb Dean a interromper o combate.

Após a luta, Rockhold lembrou o golpe que abriu caminho para sua vitória e disse que jamais seria nocauteado novamente por um chute alto rodado. “Eu pensei: isso não vai acontecer de novo. Eu estou um pouco cansado, mas ele não devia ter tentado isso, porque aí eu tomei o controle no chão e tive um bom desempenho. Eu me sinto muito confortável no meu jogo”, disse o novo campeão a Joe Rogan.

Confira os resultados do UFC 194:

CARD PRINCIPAL

Conor McGregor nocauteou (soco) José Aldo aos 13s do R1;

Luke Rockhold nocauteou (socos) Chris Weidman aos 3m12s do R4

Yoel Romero venceu Ronaldo Jacaré em decisão dividida dos juízes (29×28, 28×29 e 29×28);

Demian Maia venceu Gunnar Nelson em decisão unânime dos juízes (30×26 30×26 30×25)

Max Holloway venceu Jeremy Stephens em decisão unânime dos juízes (30×27, 30×27 e 29×28)

CARD PRELIMINAR

Urijah Faber venceu Frankie Saenz em decisão unânime dos juízes (29×28, 29×28 e 30×27);

Tecia Torres venceu Jocelyn Jones-Lybarger em decisão unânime dos juízes (30×27, 30×27 e 30×27);

Warlley Alves finalizou Colby Covington com uma guilhotina a 1m16 do R1;

Léo Santos nocauteou (socos) Kevin Lee aos 3m36s do R1;

Magomed Mustafaev venceu Joe Proctor por nocaute técnico (joelhadas e socos) a 1m54s do R1;

Yancy Medeiros venceu John Makdessi em decisão dividida dos juízes (29×28, 28×29 e 29×28);

Court McGee venceu Márcio Lyoto em decisão unânime dos juízes (30×27, 29×28 e 29×28).

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments