Pepey mira volta por cima e garante: “Lutar no Brasil não tem igual”

Lutador peso pena admite vacilo em luta anterior e diz que seguirá conselhos do seu treinador no próximo sábado

G. Pepey (foto) lutou apenas uma vez fora do Brasil. (Foto: UFC / Buda Mendes)

G. Pepey (foto) lutou apenas uma vez fora do Brasil. (Foto: UFC / Buda Mendes)

Lutar no Brasil tem um gostinho especial para alguns lutadores, como é o caso de Godofredo Pepey. De volta ao octógono no próximo sábado (24), quando enfrenta Mike de la Torre no UFC Brasília, Pepey tem uma boa razão por gostar tanto de atuar em solo brasileiro: das 16 lutas em sua carreira, apenas uma foi fora do Brasil, justamente a última, em julho passado, na derrota para Darren Elkins. Para ele, o fato de ter a torcida a seu favor é sempre um ânimo a mais.

Veja Também

Evento anuncia quatro mudanças nas lutas do UFC Brasília
Brasileiro empurra rival e clima esquenta na pesagem do UFC Chicago
Vídeo: Cyborg discute com nutricionista sobre corte de peso

“Lutar no Brasil não tem igual. Espero que todo mundo esteja comigo na pesagem, no evento, para passar a energia que os torcedores sabem passar. É sempre bom lutar em casa. Finalizei o Dashon Johnson em Brasília da última vez que lutei lá. Vou surpreender mais uma vez e dar essa vitória aos brasileiros”, garantiu o lutador, em entrevista ao site Combate.com.

A apresentação mais recente de Pepey não serviu somente como sua primeira experiência internacional, mas também como aprendizado para corrigir um erro considerado crucial no revés sofrido: não seguir as orientações de seu treinador. Na ocasião, o atleta da Evolução Thai ignorou os inúmeros pedidos de André Dida, seu coach, para manter o combate em pé e não puxar para guarda, como insistiu em fazer. Agora, ele afirma que aprendeu com os erros e está pronto para voltar ao caminho das vitórias.

“Vou confiar 100% nele no octógono, seguindo a estratégia direitinho, seguir o planejado. Eu não o ouvi porque sou oriundo do jiu-jítsu. Confio muito no meu chão, mas a verdade é que quem está do lado de fora enxerga melhor. Nada melhor do que o seu mestre, o seu professor, falando. Errei e isso não vai se repetir. Serviu de aprendizado. A derrota foi um acidente de percurso, não era para ter acontecido. Voltarei com tudo, estou motivado e feliz com essa luta”, prometeu Godofredo.

Aos 29 anos, Pepey, finalista do TUF Brasil 1, soma oito lutas no Ultimate, com quatro resultados positivos e quatro negativos. Ao todo, acumula 12 triunfos e quatro derrotas em seu cartel profissional.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments