Entrevista: Roan Jucão fala sobre sua luta no UFC-79

Em entrevista concedida ao site Gracie Magazine, Roan Jucão Carneiro, afirmou saber da necessidade da vitória sobre Tony de Souza no UFC 79. para se manter no evento Missão cumprida, o faixa-preta agora descansa, mas já com o objetivo traçado: chegar ao topo da categoria meio-médio do UFC. Pelo menos é isso que Jucão deixa claro na entrevista. Confira:

Como foi a luta na sua visão?

Graças a Deus deu tudo certo. Mas eu sei que posso fazer ainda melhor. Usei meu Jiu-Jitsu, quero soltar mais meu jogo em pé pois é algo que estou treinando muito.

O Tony chegou a te surpreender em algum aspecto?

Sim. Teve uma hora em que caí por baixo, tentei uma americana e ele com a mão travou meu quadril. Quando soltei a americana ele caiu quase montado. Mas foi muito rápido o lance, saí em segundos. O chão dele está de parabens.

E como foi participar do evento de fim de ano?

Foi sensacional, mas eu estava com a cabeça centrada em minha luta para não perder o foco. Mas realmente foi muito maneiro ver o reconhecimentos das pessoas. Fiquei feliz.

Você disse antes do UFC 79 que a vitória seria importante para que você entrasse para a elite da categoria. E agora, houve algum sinal por parte dos organizadores em relação aos próximos desafios?

Sim. Estamos conversando, meu empresário já teve um sinal por parte deles e agora estamos conversando para esse ano. Quero realmente entrar de vez para o topo dessa categoria. Como falei quero trabalhar e lutar com todos os tops, sem desafiar ninguém, quero que seja tudo bem natural.

Você disse que torceria para o Wand, mas acabou dando Liddell. O que você achou da luta?

Estávamos dentro do vestiário, todos os brasileiros torcendo muito para ele, pois somos hostilizados. Os americanos se unem de uma forma que só quem está lá sabe. Achei que o Wand está mais técnico. Ali qualquer um poderia cair a qualquer momento. Foi uma luta sensacional. Acho que ele vai se recuperar e dar muitas alegrias para os fãs dele.

E o Lyoto Machida, que derrotou com autoridade o temido Rameau Sokoudjou? Chegou a ver?

Sim, vi. Foi cerol fininho no camaronês. Raspada, chute, montada, deu aula de Jiu-Jitsu, de muay thai, enfim, passou o carro.

Alguma perspectiva de volta ao octagon?

Estou esperando, mas podem apostar que voltarei mais forte ainda. Quem sabe uma revanche com o Piranha (Ryo Chonan)? Estou com essa espinha na minha garganta até hoje.

Deixe seu comentário