STJD ‘salva’ Gastelum e suspende lutador por apenas três meses

Lutador, que foi pego antidoping por uso de maconha, poderá voltar a atuar já em junho; Luta contra Vitor Belfort fica 'sem resultado'

Gastelum não irá mais enfrentar Spider no Rio de Janeiro. (Foto: Buda Mendes/UFC)

Gastelum foi suspenso por três meses pelo uso de maconha. (Foto: Buda Mendes/UFC)

Saiu barato para Kelvin Gastelum! O norte-americano  foi condenado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva no MMA (STJD-MMA) em apenas três meses de suspensão pelo  uso de maconha durante o período de competição no UFC Fight Night Fortaleza, dia 11 de março. Além disso, o lutador multado em 20% de seu salário e teve o triunfo diante de Vitor Belfort, no UFC Fight Night Fortaleza transformado em No Contest (luta sem resultado).

Veja Também

Dana White descarta luta por cinturão e detona Anderson: ‘talvez seja a hora de parar’
Chegou! Nasceu o primeiro filho de Conor McGregor

O que chama atenção no caso é que a suspensão mínima pelo uso de drogas recreativas em período de competição são de seis meses, mas a admissão de culpa fez com que o tribunal reduzisse o gancho de Gastelum pela metade.  A punição é retroativa à data do exame, 11 de março. Neste caso,  o lutador estará livre para lutar a partir de 11 junho.

Gastelum, que estava escalado para enfrentar Anderson Silva no UFC 212, dia 3 de junho, no Rio de Janeiro, foi retirado do card. Porém, mesmo antes do anúncio oficial do STJD-MMA, o norte-americano desafiou o Spider para que o duelo seja realizado em Nova York, dia 25 de junho.

Decisão do STJD-MMA sobre o caso:

Marcelo Sedlmayer Jorge, Presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva – MMA e o procurador da entidade (Emmanuel Guedes Ferreira), em conjunto de esforços com a CABMMA neste ato representada pelo Sr Cristiano Sampaio, formalizaram um acordo com o atleta Kelvin Gastelum, seus advogados e a USADA.

O atleta confessou oficialmente o uso da substância Carboxy – THC, desculpou-se publicamente. O atleta compromete-se não infringir qualquer outra norma do esporte sob pena de aplicação das agravantes prevista por reincidência.

Por fim, restou fixado a suspensão de 03 meses a contar do dia 11/03/2017, bem como o pagamento da multa de 20% da bolsa recebida na luta contra Vitor Belfort.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário