Roger Gracie e Charles do Bronx são derrotados no card principal do UFC 162

Ao contrário do card preliminar, onde brasileiros saíram vencedores, atletas acabaram perdendo para Tim Kennedy e Frankie Edgar

R. Gracie (esq.) e C. do Bronx (dir.) não conseguiram vencer no UFC 162. Foto: Produção MMA Press (Divulgação/UFC)

R. Gracie (esq.) e C. do Bronx (dir.) não conseguiram vencer no UFC 162. Foto: Produção MMA Press (Divulgação/UFC)

Não deu para os brasileiros no card principal do UFC 162. Ao contrário do card preliminar, em que os atletas do país venceram ambos os combates em que estiveram envolvidos (um deles entre dois lutadores do Brasil), Roger Gracie e Charles do Bronx acabaram derrotados por Tim Kennedy e Frankie Edgar, respectivamente.

Como era de se esperar, os primeiros minutos de Roger Gracie no UFC foram tensos. Muito estudo e pouca ação por parte do brasileiro, que veio do extinto Strikeforce, culminaram em uma ótima queda aplicada e quase dois minutos de domínio das costas de Kennedy no chão. Porém, esses foram os únicos bons momentos do atleta, que não apresentou bom condicionamento físico, em todo o combate.

Visivelmente cansado, Roger segurou o ritmo nos últimos rounds e acabou sofrendo diversos chutes baixos. Nos minutos finais, o que se viu, foi o brasileiro completamente extenuado sem conseguir produzir ofensivamente, enquanto Kennedy, que mesmo também não estando em suas melhores condições físicas, manteve uma postura mais agressiva para garantir a vitória por decisão dos juízes.

Charles do Bronx, que enfrentou o ex-campeão dos leves e ex-desafiante dos penas Frankie Edgar, se apresentou de maneira mais convincente. Apesar de levar desvantagem no primeiro round do combate, o brasileiro acertou alguns bons golpes no oponente. No segundo assalto, Charles seguiu sem conseguir levar a luta para o chão, onde poderia impor seu jiu-jitsu, porém acabou sofrendo sucessivas quedas – que novamente deram vantagem para Edgar.

No terceiro round, os lutadores elevaram ainda mais o nível do confronto, fazendo com que o público vibrasse a cada momento. Com golpes duros aplicados por Edgar e com Charles do Bronx resistindo bem e até revidando quando possível, os dois foram aplaudidos de pé ao término da luta. Apesar da boa atuação do brasileiro, o norte-americano foi declarado vencedor por decisão unânime dos juízes.

Em luta quente, Cub Swanson vence Dennis Siver

Na luta que abriu o card principal, o norte-americano Cub Swanson enfrentou o russo naturalizado alemão Dennis Siver. Os pesos penas protagonizaram um combate muito movimentado, tanto na trocação quanto no jogo de chão. No primeiro assalto, o confronto era equilibrando quando Siver conseguiu levar Swanson para o chão, após defender muito bem um chute alto do oponente. Uma vez no solo, o alemão se manteve por cima até os segundos finais do round.

No segundo assalto, Swanson voltou mais ligado e levantou a torcida presente no MGM Grand Garden Arena ao tentar um acrobático chute alto. Conseguindo manter o combate em pé, o norte-americano acertou um ótimo gancho no alemão e aplicou uma queda incrível no fim do round, terminando em vantagem.

No terceiro round, Cub Swanson se aproveitou do seu melhor momento e, sempre com um sorriso desafiador no rosto, conseguiu conectar duros golpes em Siver, que foi ao chão. Com o adversário cada vez mais entregue, enquanto golpeava o alemão, o próprio Swanson solicitou o término do combate ao árbitro Herb Dean, que finalmente paralisou a luta.

Com atuação quase impecável, Mark Muñoz bate Tim Boetsch na decisão dos juízes

O combate entre Tim Boetsch e Mark Muñoz começou surpreendente, com uma ótima queda aplicada por Boestch no seu oponente – que é um excelente wrestler. Daí em diante, o que se viu foi uma sequência de reviravoltas, com os atletas alternando o domínio da luta até o fim do primeiro assalto.

Mark Muñoz voltou melhor no segundo round e conseguiu impor seu estilo de luta, com sucessivas quedas e minando a resistência de Boetsch. Esse cenário se repetiu no terceiro assalto, que também começou com o filipino dominando. Porém, ao contrário do round anterior, Muñoz conseguiu acertar muito mais golpes no adversário e quase finalizou o combate com uma chave kimura.

No fim, ainda sobrou tempo para Mark Muñoz levantar o público ao acertar o adversário com um estético superman punch, com Boestch no chão. Ao término dos três rounds, o filipino foi declarado vencedor por decisão unânime dos juízes (30-26, 30-27 e 29-28).

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments