Disposto a se livrar de acusações, St. Pierre passa por vários exames antidoping: ‘Quero ser um modelo a ser seguido’

GSP está sendo testado antes de sua luta contra Johny Hendricks, no UFC 167, pela a Agência Voluntária Antidoping

GSP (foto) vai bancar o exame antidoping para a luta principal do UFC 167. Foto: Josh Hedges/UFC

GSP (foto) quer se livrar das acusações de que usa esteroides. Foto: Josh Hedges/UFC

Georges St. Pierre está escalado para defender o cinturão dos meio-médios contra Johny Hendricks no UFC 167, evento que acontece dia 16 de novembro, em Las Vegas. Mas além de se preocupar com o poder de nocaute do rival, o canadense tem que conviver com inúmeras acusações de que ele luta sob efeitos de esteroides. O campeão se ofereceu, inclusive, para que ele e Hendricks fossem testados pela Agência Voluntária Antidoping (VADA), mas o desafiante se recusou.

PUBLICIDADE:

“Muitas pessoas me acusam de usar esteroides. No passado eu achava que era porque eles notavam que eu sou muito atlético, então eu considerava um elogio. Mas com o passar do tempo, eu queria provar que é possível ser um campeão mundial sem usar esteroides. Eu nunca usei esteroides na minha vida. Eu queria fazer algo bom pelas pessoas honestas desse esporte e queria fazer algo pelo esporte”, disse GSP ao site norte-americano MMA Fighting. O campeão dos meio-médios ainda ainda revelou que irá bancar seus exames para ser exemplo para os fãs.

“Como campeão, eu quero ser um modelo a ser seguido. Como atleta, quero elevar o esporte a outro nível quando estiver fora do octógono. Quero que o esporte seja mais acessível. Acho que esse é o próximo passo. Eu queria elevar o nível e fazer algo pelo esporte. Achei que o Hendricks também faria, mas ele mudou de ideia. Ainda vou fazer porque sou um homem de palavra”, completou GSP.

PUBLICIDADE:

Podcast #40: José Aldo ainda pode ser campeão no UFC?

Comentários

Deixe um comentário