Justin Gaethje quebra silêncio e cita emoção como fator crucial em derrota para Charles do Bronx

Norte-americano admite ter se deixado influenciar por apoio de torcida e lamenta não conseguir controlar suas sensações no embate contra o brasileiro

C. Do Bronx encaixa finalização em J. Gaethje no UFC 274. Foto: Reprodução/Instagram

Demorou, mas, enfim, Justin Gaethje refletiu sobre a derrota sobre Charles do Bronx no UFC 274, que aconteceu em 7 de maio deste ano. Em participação na cerimônia de posse do ‘Hall da Fama’ da organização, o norte-americano admite que a emoção por estar lutando em casa, com o apoio da torcida no Arizona (EUA), pode ter o prejudicado no embate pelo cinturão dos leves (até 70,3kg.). Ele acabou finalizado no primeiro round por um mata-leão.

PUBLICIDADE:

“Estamos em um jogo louco e é por isso que eu amo. É um jogo de detalhes e, no final das contas, estando em casa diante da própria torcida, às vezes você perde o controle das emoções. Não tenho certeza do que aconteceu. Eu tive o melhor momento da minha vida, mas é um jogo maluco. Quase emocional e impossível”, disse Gaethje.

Veja Também

Ao ser questionado sobre seu próximo passo na categoria, Justin admite fazer uma pausa para tratar de um ‘problema de longa data’ com o nariz. O norte-americano afirmou que vai passar por cirurgia e não tem pressa por retorno ao octógono, apesar de revelar desejo por caminho curto.

PUBLICIDADE:

“Estou esperando há muito tempo para quebrar esse nariz. Ninguém fez isso, então vou fazer eu mesmo e dar uma última corrida pelo título. Há algumas lutas que vão acontecer. Vou deixar isso acontecer. Eu quero um caminho claro de duas ou três lutas de volta para a luta pelo título, e quero ganhá-lo como deveria. Eu tenho um ótimo gerente, não estou muito preocupado com isso. Estarei pronto para lutar”, concluiu.

O revés foi o quarto de Justin na carreira, que não tem sucesso em nova chance pelo título. Antes, na carreira, o atleta havia se tornado campeão interino, mas não conseguiu unificar contra Khabib Nurmagomedov e também foi finalizado pelo russo. Aos 33 anos, ele também conta com 23 vitórias em seu retrospecto.

Podcast #73: MAIOR DE TODAS? Amanda Nunes volta a reinar no UFC