Pugilista na juventude, Mandela recebe homenagens de lutadores após falecimento | SUPER LUTAS

Pugilista na juventude, Mandela recebe homenagens de lutadores após falecimento

Diversos atletas do MMA se manifestaram após a morte do ativista dos direitos raciais e ex-presidente da África do Sul

Nelson Mandela praticou boxe em sua juventude. Foto: Divulgação/AP

Nelson Mandela praticou boxe em sua juventude. Foto: Divulgação/AP

A notícia da morte do ex-presidente sul-africano e ativista pela igualdade racial Nelson Mandela causou comoção global na noite desta quinta-feira (05). Pugilista na sua juventude, Mandela ficou conhecido, entre outras coisas, por usar o esporte para unificar o povo de seu país-natal. Após o falecimento de “Madiba”, como era conhecido na África do Sul, a comunidade do MMA também prestou sua homenagem ao ganhador do Prêmio Nobel da Paz.

“Perdemos um grande líder e exemplo pra todos os negros do mundo”, escreveu Anderson Silva, lembrando do aspecto racial e da luta de Mandela contra o regime do apartheid, de segregação racial. “Ele é o verdadeiro símbolo da liberdade”, lembrou Vitor Belfort. Royce Gracie classificou Mandela como um “grande homem”. O peso médio Rafael “Sapo” Natal também sobre a importância do ex-presidente sul-africano. “Se alguém me representa ou representou, esse é Nelson Mandela”, afirmou.

Atletas de outros países também se manifestaram. “Descanse em paz Mandela. Uma das pessoas mais importantes da nossa época, um verdadeiro lutador”, publicou o sueco Akira Corassani. “Descanse em paz”, disseram Kelvin Gastelum, campeão do TUF 17, e Alistair Overeem. O presidente do UFC Dana White também se manifestou. “Descanse em paz Nelson Mandela”, escreveu o dirigente, juntamente com uma imagem do líder político. Assim como os demais, o ex-lutador e hoje comentarista do Ultimate Kenny Florian lamentou a morte de Mandela e afirmou que “sua memória vive”.

Na noite desta quinta-feira (05), em Pretória (Africa do Sul), Nelson Mandela faleceu aos 95 anos. “Madiba” foi vítima e lutou contra o regime do apartheid em seu país, que durou entre 1948 e 1993. O ativista passou 27 anos preso pelo regime, tendo sido solto somente em 1990. Mandela participou ativamente do processo de reconstrução democrática de seu país e elegeu-se presidente em 1994, ocupando o cargo até 1999. Em seu pronunciamento oficial, o atual presidente sul-africano Jacob Zuma declarou: “Ele está agora a descansar. Ele está agora em paz. A nossa nação perdeu o seu maior filho. O nosso povo perdeu um pai”.

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments