Rich Franklin revela ter rezado para que ‘apagão’ evitasse luta contra Anderson Silva

Norte-americano falou sobre o tema durante discurso motivacional sobre lidar de maneira positiva com as derrotas

R. Franklin (foto) foi derrotado por A. Silva em 2006 e na revanche em 2007. Foto: Josh Hedges/UFC

R. Franklin (foto) foi derrotado por A. Silva em 2006 e na revanche em 2007. Foto: Josh Hedges/UFC

O nervosismo e a pressão são sentimentos com os quais qualquer atleta de alto desempenho está sujeito a se deparar mais cedo ou mais tarde. No caso do ex-campeão dos pesos médios do UFC Rich Franklin, a apreensão veio justamente em um dos momentos mais importantes de sua carreira: na defesa de cinturão contra Anderson Silva. Durante sua participação no evento “TED Talks” (promovido pela fundação homônima) em Chicago (EUA), Franklin revelou a que ponto chegou sua tensão nos bastidores do UFC 64.

“Eu estava lutando no Mandalay Bay, em Las Vegas. Uma multidão de 20 mil pessoas estava presente, o lugar estava completamente lotado. A tensão estava no ar. Eu estava sentado nos bastidores, como de costume. Estava nervoso. Na verdade, eu cheguei a rezar para Deus: ‘Se você puder, por favor, faça as luzes se apagarem, isso seria ótimo”, disse o lutador, em um discurso  intitulado “Como ser um perdedor”, voltado para incentivar as pessoas a lidarem de maneira positiva com a derrota. “Essa é uma história verdadeira. Isso não é uma piada. Não há nenhum gancho pra humor aí”, assegurou.

De fato, os temores de Franklin se comprovaram no octógono. No combate, o norte-americano foi completamente dominado por Anderson Silva e perdeu o cinturão para o brasileiro. Um ano depois, o Ultimate deu a Franklin o direito de atuar em casa, no estado de Ohio, na revanche contra Silva. Mesmo nessas condições, “Ace”, como é conhecido, foi novamente derrotado pelo Spider. Em sua carreira, Rich Franklin tem um histórico de 29 vitórias, sete derrotas e uma luta sem resultado. O atleta já anunciou que está a apenas uma luta da aposentadoria.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments