Diaz, sobre duelo com Anderson: ‘Era a maior luta que eu poderia conseguir para mim’

Norte-americano comenta negociações com o UFC e diz que não gosta de lutar: ‘É algo que sinto que tenho que fazer’

N. Diaz se mostra à vonta com o público durante o UFC 171. Foto: Reprodução/Twitter

N. Diaz se mostra à vonta com o público durante o UFC 171. Foto: Reprodução/Twitter

Após meses e meses de indefinição sobre seu futuro no UFC, Nick Diaz finalmente teve o que queria. O norte-americano, que afirmava querer grandes lutas para sua carreira, conseguiu fechar uma acordo para enfrentar um dos maiores nomes da história do MMA, Anderson Silva, com o duelo já oficializado para o dia 31 de janeiro.

Com a confirmação da luta, Diaz explicou que não retornou ao octógono antes já que não estava interessado com as propostas feitas pelo UFC. “Eles estavam me oferecendo algumas lutas pelas quais eu não estava interessado. Ficaram conversando comigo por praticamente o ano inteiro. Então, fui cuidar de outras coisas da vida. Agora nós conseguimos sentar e conversar. Eu estava procurando pela maior luta que eu poderia conseguir, como sempre. É isso que eu tenho feito desde que cheguei ao UFC”, disse o norte-americano, em teleconferência nesta quarta-feira (30).

Porém, Diaz se negou a dizer que está empolgado para luta, já que não é essa a abordagem que tem em relação aos seus compromissos profissionais. “Eu não gosto de lutar. Eu não uso a palavra ‘empolgação’ neste esporte. Eu uso essa palavra quando estou com fome e a comida está chegando. Isso é empolgação. Ou quando fico empolgado por tirar uns dias de folga”, comentou. “Eu não recomendo a ninguém ser um lutador. Lutar não é algo que eu gosto de fazer, é algo que sinto que tenho que fazer.”

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments