Mesmo sem TRT, Belfort se vê fortalecido para Weidman: ‘Tenho tudo o que preciso’

Lutador brasileiro destaca dedicação máxima aos treinamentos e admite que não gostava de fazer a terapia

Belfort (foto) retornará ao octógono em dezembro. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC

Belfort (foto) retornará ao octógono em dezembro. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC

Já se preparando para enfrentar Chris Weidman no UFC 181, em dezembro, em luta que valerá o cinturão dos médios do Ultimate, Vitor Belfort se vê fortalecido com os recentes acontecimentos e garante que entrará com força total para o combate.

Nos últimos meses, o brasileiro teve de desistir da terapia de reposição de testosterona (TRT) após sua proibição, mas confia que isso não irá atrapalhar seu rendimento contra o lutador norte-americano. “Você é o que você pensa. Eu tenho tudo o que eu preciso, Deus me deu tudo o que eu preciso. Já foi banido, não se fala mais nisso. Agora é [olhar] daqui para frente”, disse o veterano, em entrevista ao site oficial do UFC.

Belfort minimizou as recentes polêmicas envolvendo sua forma física, garantindo que não se preocupa com o fato. “Eu sei que muitas pessoas se perguntam ‘o que está acontecendo? Ele emagreceu? Agora ficou forte de novo, o que ele está fazendo?’. As pessoas ficam preocupadas. Enquanto as pessoas ficam vivendo o ‘fora’, eu estou vivendo o que está dentro”, filosofou.

Apesar de considerar a TRT algo necessário, Belfort admite que não gostava de se utilizar da prática. “É um hormônio que eu não produzo. O cara que tem diabetes não escolheu ter diabetes. [A TRT] Não era uma coisa que eu adorava fazer – eu não gostava de fazer, mas era necessário, era médico. Mas, mesmo assim, minha cabeça está muito forte, minha concentração, minha dedicação ao treinamento”, contou.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments