Rafael dos Anjos provoca Colby Convigton: ‘Quer pular fora da luta’

Em entrevista ao site do canal Combate, dos Anjos garante que irá acertar as contas com o rival

Dos Anjos promete acertar contas com Colby (Foto: Reprodução Facebook ufc)

Rafael dos Anjos está disposto a conquistar o cinturão interino dos meio-médios (até 77,1 kg.) na luta contra o Colby Convigton no UFC 225. A disputa que aconteceria inicialmente no Brasil, foi transferida para Chicago (EUA) por motivos de segurança, já que o norte-americano disse ter sido ameaçado de morte no país. Disposto a acertar as contas com o rival, o brasileiro alega que Colby está fazendo de tudo para não enfrentá-lo.

Veja Também

Dustin Poirier agradece ao adversário após a vitória no UFC Glendale
Vitor Belfort considera seguir lutando após UFC Rio

“Ele está fazendo de tudo para arrumar um motivo para pular fora dessa luta. Ficou exigindo mil coisas com relação à segurança no Rio, mas agora vai ter que matar no peito. Botou uma bronca, xingou todo mundo, fez isso e fez aquilo, agora vai ter que ir lá”, declarou Rafael, em entrevista ao site do canal Combate.

Apesar de perder a oportunidade de encarar o rival em casa, Dos Anjos garante que lutar nos Estados Unidos não será problema. Ele promete dar uma ‘surra’ em Convigton, independente do local.

“A luta pode ser aonde for, no Brasil ou EUA, que esse cara vai levar uma surra do mesmo jeito”, completa o brasileiro, confiante na vitória.

Entenda a confusão

A confusão envolvendo Covington e a torcida brasileira começou durante o UFC São Paulo, em outubro do ano passado. O norte-americano, que enfrentava Demian Maia no show, provocou a torcida durante toda a semana do evento e chegou a dizer que os ‘brasileiros eram animais sujos’ na entrevista ainda no octógono.

A polêmica causada pelo lutador teve troco. Na ocasião, a torcida paulista arremessou vários objetivos contra o atleta. Mas engana-se quem pensa que a confusão teve fim. Assim que os rumores sobre a luta contra Rafael dos Anjos surgiram, Covington começou a receber ameaças de morte.

O próprio atleta relatou as ameaças à ESPN norte-americana. “Foi meio difícil aceitar essa luta. Sei que as pessoas me querem morto lá (no Brasil). Recebi muitas ameaças de morte. Me falaram que estão oferecendo dinheiro pela minha cabeça, para me matarem antes que eu suba ao octógono”.

O receio de Covington somada a imensa confusão causada por McGregor no Media Day do UFC 223, onde três lutas foram canceladas, o Ultimate achou por bem mover a disputa pelo título interino dos meio-médios para Chicago.

Notícias relacionadas