Cris Cyborg assume doping e pede desculpas aos fãs

A brasileira Cris Cyborg foi flagrada no exame antidoping do Strikeforce, realizado no último dia 17 de dezembro. Na ocasião, a brasileira nocauteou a japonesa Hiroko Yamanaka em apenas 16 segundos e defendeu o cinturão feminino dos pesos penas. Mas com a confirmação do doping, Cris teve o resultado da luta alterado para “No Contest” (sem resultado) e pode ter o título da categoria.

Neste final de semana, um dia após a divulgação do resultado, a atleta tupiniquim, que testou positivo para estanozolol, divulgou uma carta aberta na qual assume o erro na ingestão de um produto que ajudou na perda de peso para o combate.

“Eu estava tendo muita dificuldade em perder peso para a minha luta contra a Hiroko e fui oferecida um suplemento que me foi apresentado e confirmado como não sendo proibido o uso em competições esportivas… Meu único erro foi de não verificar esse suplemento com meu médico antes do uso”, disse a brasileira.

Confira abaixo a carta de Cris Cyborg na integra:

Gostaria de pedir desculpas ao Strikeforce, a organização Zuffa, Hiroko Yamanaka e meus fãs pelo resultado do meu exame antidoping.

Eu sou a única responsável por tudo que eu coloco em meu organismo, e no final do dia, não há desculpa para ter uma substância proibida em meu corpo. Eu não tolero o uso de melhoradores de desempenho por mim ou qualquer outro atleta profissional, e por isso aceito as penalidades e multas que tenham sido apresentadas a mim pela Comissão Atlética do Estado da Califórnia e pela organização Strikeforce/Zuffa.

Eu estava tendo muita dificuldade em perder peso para a minha luta contra a Hiroko e fui oferecida um suplemento que me foi apresentado e confirmado como não sendo proibido o uso em competições esportivas. Nunca foi a minha intenção em obter uma vantagem injusta sobre a minha adversária ou enganar o Strikeforce, a Comissão Atlética ou meus fãs. Eu treino muito e sou muito dedicada e não preciso de drogas para vencer no octógono, como pude provar nas minhas lutas anteriores. Meu único erro foi de não verificar esse suplemento com meu médico antes do uso. Infelizmente no final, eu tenho que sofrer as consequências e aceito todas as responsabilidades das minhas ações.

Eu farei de tudo para mostrar aos meus fãs que eu posso competir no nível profissional, sem o uso de qualquer substância proibida para melhorar meu desempenho, e peço perdão a Deus pelo meu erro.

Cristiane Dos Santos, Curitiba, Brasil, 7 de Janeiro de 2012.

 

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário