WOCS 3 agita público no Rio

A terceira edição do WOCS 3, evento organizado por Tatá Duarte e Phillip Lima, foi uma grande festa. Além de trazer grandes combates, muitas feras do MMA internacional prestigiaram o evento, lutadores como Anderson Silva, Pedro Rizzo, Renato Babalu e José Aldo, entre muitos outros. Na área vip, todos receberam um tratamento de primeira e um time de ringue girls de tirar o fôlego agitou a torcida nas arquibancadas. Mas como o que interessa mesmo é o que acontece dentro do ringue, houve muita emoção no quadrilátero montado no Clube Oásis, na Barra da Tijuca, nesta quinta-feira (20 de março).

Renan Barão x André Minhoca
André Minhoca começou bem. No primeiro round, acertou bons socos, tentou quedar e, quando caiu por baixo, acertou uma boa pedalada. No seguimento da luta, Renan Barão passou a dominar as ações. No round dois, Barão defendeu as quedas, caiu por cima e trabalhou no ground and Pound. Na etapa final, com Minhoca visivelmente cansado, Barão não deu bobeira. Depois de quedar, montou e encaixou um justo triângulo para finalizar.

Danilo Moto-Serra x Carlos Santos
Danilo Moto-Serra já começou partindo para cima na trocação e logo em seguida quedou, movimento que aconteceu nos três rounds. Carlos Santos não desistiu em nenhum momento. Quando o adversário entrava para quedar, tentava surpreender com joelhadas. No final do terceiro round, Carlos mostrou-se mais inteiro e teve um bom momento, mas na decisão dos árbitros valeu a superioridade de Danilo, que trabalhou bem no ground and pound e foi superior na maior parte do tempo.

Maurício Reis x Felipe Olivieri
O combate entre Felipe Olivieri e Maurício Reis foi o mais polêmico da noite. No intervalo do primeiro para o segundo assalto ficou paralisado por alguns minutos, já que Maurício reclamou bastante do oponente, que, segundo ele, teria passado vaselina no corpo e estava bastante escorregadio. Até este momento, Felipe levava vantagem na luta. Após a decisão de Maurício em continuar, o combate voltou nervoso e teve início uma intensa trocação de golpes. E quem levou a melhor foi Felipe, que nocauteou o oponente. Após a luta, Olivieri declarou que não passara vaselina no corpo.

Tateki Matsuda x Alvaro Bobadilla
Tateki Matsuda manteve a tradição dos japoneses que combatem no Brasil e não deu bobeira. Depois de um primeiro assalto equilibrado contra Alvaro Bobadilla, passou a levar vantagem. Evitou as quedas e foi bem por cima, na trocação. No giro final, conseguiu cair por cima ao chão e foi mais agressivo até o toque do gongo. A vitória veio por decisão unânime.

Artur Gogó x Rafael Macuco
Gogó e Macuco fizeram uma das lutas mais elogiadas do evento. Faixas-pretas de jiu-jitsu, ambos mostraram bastante disposição. Macuco começou quedando, mas Gogó contra-atacou com uma tentativa de leglock e omoplata. No seguimento da luta, Gogó conseguiu aplicar as quedas e trabalhar no ground and pound. Macuco não desistiu e também teve bons momentos em pé, na trocação, mas, no final, a vitória foi para o adversário por decisão unânime. A luta arrancou muitos aplausos da platéia.

Fabiano Lucas “Bob Esponja” x Allan Lopes
Fabiano Bob Esponja decidiu rapidamente contra Allan Lopes. Depois de quedar, passar aguarda, ir para as costas e apertar o pescoço, viu o oponente se desvencilhar e ficar por cima. Motivo de preocupação? Não. Bob mostrou que está com o jiu-jitsu afiado e finalizou rapidamente com um justo armlock.

Paulo Bananada x Matheus Souza
Vindo da polêmica derrota para Geovanni Diniz no Shooto, Paulo Bananada voltou a vencer. Contra Matheus Souza, Bananada dominou o primeiro giro com boa trocação e quedas. Na segunda etapa, o lutador da TFT quedou e acertou um duro golpe do ground and pound, que abriu um grande corte na testa do oponente. O combate foi interrompido por intervenção médica e Bananada comemorou.

Fábio Oliveira Larvinha x Carlos Roberto
Fabio Larvinha não entrou de brincadeira contra Carlos Betinho. Rapidamente quedou e tentou um triângulo de braço. Sem êxito, passou para as costas e finalizou com um mata-leão.

Lutas amadoras
O maior destaque nas lutas amadoras foi Rodrigo Ratinho. Contra Eduardo Feliciano, o lutador da TFT chegou a mais uma vitória como amador. Ratinho quedou e montou, de onde encaixou um justo armlock. Mas a vitória veio mesmo com um katagatame, ainda no primeiro round.

Confira todos os resultados:

Card Principal
Renan Barão (Nova União) finalizou André Minhoca (Top Brother) com um triângulo no 3º R
Danilo Moto-Serra (Gracie Fusion) venceu Carlos Santos (RFT) por decisão (dois votos a favor e um empate)
Felipe Olivieri (Nova União/Boxe Thai) venceu Maurício Reis (BTT) por KO, no 2º R
Artur Gogó (Gracie Fusion) venceu Rafael Macuco (BTT) por decisão unãnime
Fabiano Lucas “Bob Esponja” (TFT) finalizou Allan Lopes (BPT) com um armlock no 1º R
Paulo Bananada (TFT) venceu Matheus Souza (BPT) por TKO, no 2º R
Fábio Oliveira Larvinha (TFT) finalizou Carlos Roberto (Caverna) com um mata-leão, no 1º R

Luta Interncioanal
Tateki Matsuda (Japão) venceu Álvaro Bobadilla (Top Brother/GFTeam) por decisão unânime

Lutas Amadoras

Rodrigo Ratinho (TFT) finalizou Eduardo Feliciano (Caverna) com um katagateme, no 1º R
Rafael Braga (Brigadeiro) venceu Júlio César Merenda (TFT) por desclassificação no 2º R
Jonatan Cabelinho (TFT) venceu Magno Mota (Brigadeiro) por decisão unânime
Antônio Roberto (NG Combate) venceu Wellington Azevedo (Honório JJ) por decisão unânime

Deixe seu comentário