Dana White volta a defender Ronda Rousey: ‘É um ser humano’

Presidente do UFC disse não se importar se Ronda se aposentar

Dana (esq.) e Ronda (dir.): melhores amigos, segundo o dirigente. Foto: Divulgação

Dana (esq.) e Ronda (dir.): melhores amigos, segundo o dirigente. Foto: Divulgação

O presidente do UFC, Dana White, voltou a defender Ronda Rousey, nocauteada pela segunda vez em duas lutas no fim do ano passado diante de Amanda Nunes. O mandatário do Ultimate disse não se importar se ela irá se aposentar, pois a considera uma amiga e quer que ela faça o melhor para si. O dirigente também exaltou a ética de trabalho da ex-campeã dos galos e disse que Ronda “construiu” as divisões femininas que hoje existem no UFC.

Veja Também

Glover luta na Suécia, em maio (Foto: UFC)
Glover diz que superou nocaute relâmpago: “Voltei com sangue nos olhos”
Dantas vai enfrentar Caldwell no Bellator 177. (Foto: Divulgação / Bellator)
Dudu Dantas defende cinturão dos galos no Bellator 177, na Hungria
Boetsch enfrenta Jacaré no card principal do UFC 208. (Foto: Getty Images)
Adversário de Jacaré, Boetsch elogia o brasileiro: “É o melhor lutador da divisão”

“Ela é um ser humano. Uma excelente amiga minha e não é p**** nenhuma de galinha de ovos de ouro (…) Tudo o que ela me disse que ela iria fazer ela fez. Ela trabalhou duro por esse esporte, para essa companhia, para as mulheres. Ela trabalhou até os ossos. Nunca tive um lutador que trabalhou (sua publicidade) como ela. Ela fez muito dinheiro. Eu sei que pra ela isso não importa – seu legado importa mais para ela do que qualquer coisa. Mas sabe de uma coisa, às vezes nós não conseguimos ter tudo. Mas vamos ser claros, ela construiu isso. Ela realmente fez isso”, afirmou Dana à revista norte-americana Sports Illustrated.

Rousey ainda não decidiu se volta ou não a lutar, mas antes do duelo contra a Leoa no UFC 207, ela havia admitido que o combate diante da brasileira seria um dos últimos de sua carreira. Após conquistar o bronze olímpico no judô em 2008, Ronda virou lutadora de MMA e ganhou suas 12 primeiras lutas, finalizando ou nocauteando todas as adversárias. No fim de 2015, perdeu seu cinturão do UFC para Holly Holm e, um ano depois, veio a derrota para Amanda.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário