Holm desconversa sobre Cyborg, mas avisa: ‘Quero enfrentar a melhor’

Norte-americana disse que há muito a acontecer antes de pensar em uma eventual luta contra a campeã do Invicta

H. Holm fala com a imprensa antes do UFC 208 (FOTO: Jeff Bottari/Getty Images)

H. Holm fala com a imprensa antes do UFC 208 (FOTO: Jeff Bottari/Getty Images)

Ex-campeão peso galo feminino, Holly Holm pode fazer história neste sábado (11), no UFC 208. Se vencer Germaine De Randamie na luta principal, válida pelo título pena, a norte-americana se tornará a primeira mulher a ter dois títulos em duas divisões diferentes no Ultimate. Quem sair com o cinturão, porém, terá a sombra de Cris Cyborg, tida como a melhor peso pena do mundo e campeã do Invicta. Holm desconversou ao ser perguntada, em conversa com a imprensa, se gostaria de defender seu título, contra a brasileira, caso conquiste o título até 66 kg.

Veja Também

Dana (esq.) e Ronda (dir.): melhores amigos, segundo o dirigente. Foto: Divulgação
Dana White volta a defender Ronda Rousey: ‘É um ser humano’
Boetsch enfrenta Jacaré no card principal do UFC 208. (Foto: Getty Images)
Adversário de Jacaré, Boetsch elogia o brasileiro: “É o melhor lutador da divisão”
Glover enfrenta Cannonier no UFC 208, neste sábado. (Foto: Getty Images)
Glover diz que superou nocaute relâmpago: “Voltei com sangue nos olhos”

“Para que haja uma luta com Cyborg, muita coisa precisa acontecer. Sei que as pessoas falam muito sobre esse duelo, mas preciso lutar com Germaine primeiro. E depois Cyborg tem que se resolver com a USADA, já que pode acabar suspensa por um ano. Eu não penso em lutas boas por causa do dinheiro ou da fama. Eu quero me desafiar. Não quero lutas fáceis. Quero enfrentar a melhor”, comentou Holm.

Além das duas atletas que disputarão o cinturão e de Cyborg, o UFC ainda não contratou oficialmente nenhuma peso pena. Para Holm, isso não quer dizer que a nova categoria terá futuro curto na organização.

“Eu aposto com você que há agora garotas que não conhecemos ainda que estão agradecendo por essa nova divisão e pensando “Eu consigo bater 66 kg”. Elas vão estar mais motivadas. Em um futuro próximo, vamos ver isso com essa categoria nova. Gente que não conseguiria bater 61 kg., mas que está pensando agora “essa é a minha chance”. No mundo todo, temos garotas treinando porque amam o esporte”, encerrou.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário