Lutador anuncia ida para o UFC, mas antiga companhia usa contrato para barrar transferência

Amir Aliakbari usou suas redes sociais para promover sua ida para o Ultimate, porém, antiga organização de atleta rechaça vínculo legal entre as partes

A. Aliakbari anuncia ida para UFC, mas contrato com ACA pode emperrar situação. Foto: Reprodução/Facebook acamma

O peso pesado Amir Aliakbari pode não se transferir para o UFC com tanta facilidade. Após anunciar sua ida para a nova companhia no último final de semana pelo Instagram, a antiga empresa pela qual o iraniano atuava, a ACA (Absolute Championship Akhmat), revelou, na manhã desta segunda-feira (6), que Amir ainda possui um contrato ainda válido com a organização. A nota foi publicada na conta oficial da ACA no Facebook.

Veja Também

Com sequência de vitórias interrompida, Elias Theodorou publica foto: ‘Ou você vence, ou aprende’
Após vitória no UFC Ottawa, estreante no Ultimate dispara: ‘Este esporte é uma droga!’
Donald Cerrone e Al Iaquinta faturam R$198 mil por ‘Luta da Noite’ após o UFC Ottawa

“O lutador iraniano, Amir Aliakbari, anunciou que assinou um contrato com o UFC, esquecendo que tem um acordo válido com a ACA. Lembramos ao atleta de suas obrigações e, também, notificamos o vice-presidente do UFC, Shawn Shelby, e o Mick Maynard (responsável pelo casamento das lutas) sobre a violação do acordo exclusivo deste lutador com nossa organização. Enviamos todos os documentos confirmando as obrigações do Aliakbari para com a nossa liga”, publicou o presidente da ACA, Alexey Yatsenko.

Contudo, a diretoria do UFC e representantes do lutador ainda não comunicaram sobre a situação.

“Estamos aguardando explicações do lutador e a resposta do UFC sobre este assunto e nos reservamos o direito de tomar medidas apropriadas para proteger os interesses da nossa promoção”, finalizou Yatsenko.

Ainda na manhã desta segunda, Amir voltou a publicar uma imagem na qual aparece junto à logo do UFC, reafirmando o novo contrato.

Este acontecimento está longe de ser a primeira polêmica que envolve o iraniano. O lutador, ex-campeão mundial de wresting, foi forçado a abandonar a modalidade após ser flagrado por duas vezes no exame antidoping. No último episódio, após vencer a medalha de ouro em torneio mundial disputado em 2013, Aliakbari teve sua medalha tomada e, posteriormente, banido do esporte.

O gigante, de 31 anos, estreou no MMA em 2015. Desde então, soma 11 lutas e apenas uma derrota. Amir sofreu seu primeiro revés quando enfrentou o lendário Mirko Cro Cop, pelo Rizin em dezembro de 2016. O iraniano lutou pela última vez em março deste ano, pelo ACA 93, na Rússia, onde venceu  Shelton Graves por nocaute no primeiro round.

 

Deixe seu comentário