Cris Cyborg volta a se desentender com Dana White: ‘Quer manchar minha imagem’

Atleta disparou críticas contra presidente do UFC, após mandatário afirmar que brasileira recusou revanche contra Amanda Nunes

C. Cyborg (foto) volta a se desentender com D. White. Foto: Reprodução/Facebook UFC

A relação entre UFC e Cyborg voltou a balançar nos últimos dias. A brasileira teceu críticas ao mandatário do Ultimate após presidente afirmar que brasileira recusou enfrentar Amanda Nunes em uma revanche pelo título das penas (até 65,7kg.). A ex-campeã falou sobre o assunto em entrevista recente ao programa ‘Ariel Helwani’s MMA Show’. Cris tem apenas mais uma luta em seu contrato com a organização.

Veja Também

Henry Cejudo mira terceiro cinturão, caso Frankie Edgar derrote Max Holloway no UFC 240
IMAGENS FORTES! Cerrone fica com olho desfigurado após luta no UFC 238
Henrique Frankenstein vence na Eslováquia e desafia campeão pelo cinturão do Oktagon MMA

“Ele sabe que eu mandei mensagem para ele no dia seguinte à luta. Depois da coletiva, eu disse que queria a revanche. Ele está tentando manchar minha imagem, dizendo que estou com medo de lutar”, afirmou a atleta.

Cyborg foi derrotada por Amanda Nunes após a compatriota chocar o mundo e aplicar um nocaute devastador na ex-campeã com apenas 51 segundos de combate, em dezembro do ano passado, no UFC 232. Após o combate, uma revanche foi cogitada, no entanto, a ‘Leoa’ manifestou o desejo de voltar à antiga divisão para defender seu cinturão contra Holly Holm.

Após as declarações do ‘chefão’ do UFC sobre a brasileira, ocorridas no último sábado (8), em coletiva após o UFC 238, a curitibana relatou que White mentiu em suas afirmações e ainda disparou duras críticas ao presidente da companhia.

“Ele é aquele cara que disse que eu pareço o Wanderlei Silva de saia, que riu quando o Joe Rogan disse que tenho um pênis. É esse tipo de cara. Ele vai para a rede dizer que estou com medo para manchar a minha imagem. As pessoas que me seguem, sabem quem sou. Não tenho medo de ninguém. Elas sabem que eu queria a revanche, sabem que não aconteceu porque ele negou”, disse Cyborg.

Cris já teve seu último compromisso agendado no fim de maio. A brasileira enfrentará a canadense Felícia Spencer, ex-campeã do Invicta FC, na luta co-principal do UFC 240, em julho, no Canadá. Sobre uma possível renovação de seu compromisso com a organização, Cyborg afirmou que está aberta para conversas, mas não descartou migrar para outra companhia.

“Ouço o UFC dizendo que não tenho valor. Que as pessoas do Brasil não querem saber de mim. Depois dessa luta (contra Spencer), tenho que esperar um pouco e quero encontrar outros promotores. Quero ver o valor que eu tenho.  Por que não?”, questionou Cybor.

A curitibana realizou seu primeiro combate pelo UFC em 2016, após um logo período de negociações. A dificuldade em encontrar adversárias à altura de Cyborg sempre foi uma dificuldade para a companhia, por conta da categoria e extrema competência da atleta no MMA. Após ter sido derrotada por Nunes e perder o cinturão, Cyborg, então, acabou perdendo espaço para os promotores.

Atualmente, Cris tem 33 anos e soma em seu cartel profissional 23 lutas, com 20 vitórias, duas derrotas e um combate sem resultado.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário