Ngannou perde a paciência com UFC: ‘Me respeitem e me arranjem a droga de uma luta”

Sem lutar há quase quatro meses e longe da disputa pelo cinturão, franco-camaronês se estressa por falta de compromissos

F. Ngannou vence luta principal do UFC Minneapolis. Foto: Facebook ufc

Não há dúvidas de que Francis Ngannou, atualmente, é um dos homens mais temidos do Ultimate. Dono de uma força descomunal, o atleta vem colecionando vítimas em seus compromissos. As atuações convincentes do atleta, no entanto, não têm sido suficientes para que a companhia siga escalando o lutador para novos desafios. Impaciente, o peso pesado (até 120,2kg.) criticou o UFC por seu período de inatividade. A declaração foi feita ao ‘TMZ’.

“Só quero dizer para o UFC demonstrar algum respeito e me arranjar a droga de uma luta”, disse o gigante.

Em seu último compromisso, Francis precisou de pouco mais de um minuto para bater o ex-campeão, Júnior Cigano, em combate que representou a luta principal do UFC Minneapolis. Na ocasião, os atletas trocaram forças na iminência de que o vencedor seria o próximo desafiante ao título, que, na época, pertencia a Daniel Cormier.

Os ventos, no entanto, viraram contra Ngannou. Mesmo com uma atuação mais do que convincente sobre o catarinense, a vitória de Sitipe Miocic sobre DC, no UFC 241, abriu as portas para uma revanche entre os lutadores, adiando o sonho do franco-camaronês disputar novamente o cinturão da categoria.

Impedido de lutar pelo título, Francis, então, começou uma verdadeira saga de solicitar ao Ultimate que lhe agendasse um duelo. O pesado ainda chegou a ser cogitado para substituir o próprio Cigano na luta principal do UFC Moscou, já que o brasileiro contraiu uma infecção bacteriana e está impedido de lutar. Mesmo com o nome em pauta, o escolhido para o duelo foi Greg Hardy.

Francis também comentou sobre boatos de um possível confronto contra Jon Jones no futuro, já que o astro dos meio-pesados (93kg.) tem declarado publicamente o desejo de fazer super lutas. Ngannou confirmou que está aberto para o confronto, mas prevê que pode levar um tempo para que ocorra.

“O problema é que Jon Jones não é um peso pesado. Então, é com Jon Jones, porque, como eu disse,

“Se eu lutaria com Jon Jones se ele subir de peso pesado? É claro que eu diria a mesma coisa que ele, é inevitável. Se Jon Jones subir para peso pesado eu vou lutar com ele. Mas, mais uma vez, essa luta não é apenas uma super luta. Não é apenas uma luta que você aceitaria, porque você está desesperado e precisa de uma luta. Esta luta tem que colocar um monte de coisas juntas”, finalizou o atleta.

Atualmente, Ngannou tem 33 anos e 17 combates como profissional no MMA. O franco-camaronês estreou pelo Ultimate em 2015 e, desde então, realizou 11 confrontos, com nove triunfos; oito deles por nocaute.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário