Treinador de Jacaré admite mudança de ares em 2020 para atleta voltar a vencer

Responsável por afiar a trocação do brasileiro, Josuel Distak confirma que capixaba vai realizar treinamentos em nova academia, em Orlando (EUA)

R. Jacaré (foto) em entrada no octógono.. Foto:Reprodução/Facebook RonaldoJacaré

O brasileiro Ronaldo Jacaré não teve a atuação esperada no confronto contra Jan Blachowicz no confronto que marcou sua estreia na categoria dos meio-pesados (até 93kg.). Mesmo derrotado pelo polonês na decisão dividida dos juízes, a equipe do capixaba detectou pontos positivos e irá investir em uma nova estratégia para a preparação do combatente em seus duelos futuros. Josuel Distak, um dos técnicos de Ronaldo, afirmou que a ideia é aprimorar os treinos e confirmou a manutenção de Dedé Pederneiras no grupo para as preparações. A informação foi divulgada em entrevista ao ‘Ag.Fight’.

Veja Também

Treinador de Askren culpa tempo por insucesso de pupilo no UFC: ‘Seria campeão, se chegasse antes’
Claudinha Gadelha enfrenta Alexa Grasso no UFC 246, em janeiro
Jon Jones provoca Adesanya: ‘Anderson Silva é o maior peso médio de todos os tempos’

“Em fevereiro, vamos abrir uma academia em Orlando (EUA) para cuidar do (Ronaldo) Jacaré. Eu, Dedé Pederneiras, Márcio Soares e Daniel Mendes estaremos juntos para ajudá-lo”, afirmou Distak, que contou que a participação de Pederneira se limitará apenas ao período de treinamento para lutas agendadas, já que o técnico de José Aldo tem seus compromissos com a ‘Nova União’, academia instalada no Rio de Janeiro. “O Dedé só vai poder estar com a ‘Team Jacaré’ em tempo de luta”, declarou.

Mesmo perdendo para Jan, a equipe de Ronaldo pôde perceber pontos positivos na performance do atleta, além de criticar o resultado imposto pelos juízes, que declararam Blachowicz o vencedor na decisão majoritária, frustrando o público presente no Ginásio do Ibirapuera em 16 de novembro. Além da revolta pela derrota, o treinador culpou uma enfermidade pelo pupilo próximo à realização do confronto.

“Jacaré não venceu essa luta por um erro de arbitragem. Foi uma sacanagem, porque, para mim, ele venceu por três a dois. Os árbitros não conseguem entender que, quando eles julgam ali, estão julgando um camp (período de treinamento) inteiro, e não só uma luta. Não temos o poder e autoridade de definirmos quem será ou não vencedor”, disparou Josuel.

Para o futuro, então, o treinador mira em um recomeço. Para Distak, novos ares serão importantes para a renovação do lutador e mirar novas conquistas no futuro.

“Recomeçar não é o mesmo que partir do zero. Pode ser mais doloroso recomeçar, mas a experiência traz algumas vantagens. Mesmo com problemas de saúde, ele lutou na categoria de 93kg. com um lutador muito forte. Foi bem e, se ele não tivesse doente, a luta ia ser diferente”, finalizou.

No início de dezembro, o capixaba, ex-campeão do extinto Strikeforce completará 40 anos. Jacaré, então, terá a chance, em 2020, de se recuperar de seus últimos resultados. Com a derrota no UFC São Paulo, o brasileiro somou sua terceira derrota nas últimas cinco apresentações. A ideia de promover mudanças na preparação para o próximo confronto busca fazer com que o brasileiro retome o caminho das vitórias e retorna a figurar como um dos atletas mais perigosos da companhia.

 

 

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments