Wladimir Klitschko fala num possível retorno aos ringues

Wladimir Klitschko publicou recentemente uma série de tweets sobre um possível retorno aos ringues para defrontar Wilder, Fury ou Joshua.

Klitschko cogita volta aos ringues. Foto: Reprodução / Instagram

Wladimir Klitschko, antigo campeão mundial de pesos pesados, voltou a aludir a um possível retorno aos ringues, através da sua conta do Twitter. Nos tweets publicados, Klitschko atira três nomes para uma eventual luta: Deontay Wilder, Tyson Fury e Anthony Joshua.

“Deixem-me entretê-los com isto, vocês podem gostar ou não”, publicou Klitschko, colocando depois, em três tweets, o nome do potencial adversário, para ver a reação dos seus seguidores. Foi com entusiasmo que os seguidores acolheram a possibilidade de um retorno, para verem novamente o pugilista ucraniano em ação e até usarem um código bônus para apostarem numa luta histórica.

Dos três nomes sugeridos, aparentemente, os fãs do pugilista ficaram mais entusiasmados com uma nova luta com Tyson Fury. Até porque foi o lutador britânico que colocou um final no seu longo reinado nos pesos-pesados, em novembro de 2015, na Alemanha.

Na altura, Klitschko perdeu com Fury por decisão unânime, numa luta de 12 assaltos. Porém, muitos alegam que “Dr. Steelhammer” (Martelo de Aço), como é conhecido também, podia ter vencido o combate, se tivesse seguido as instruções do seu treinador, que na altura já não era Emanuel Steward. O treinador americano, famoso por ter treinado pugilistas como Holyfield ou Oscar de la Hoya, morreu em 2012.

Recorde-se que, contudo, esta não é a primeira vez que Klitschko alude a um possível retorno, mas sem prosseguir com a sua intenção. Na verdade, o pugilista ucraniano não tem uma luta oficial desde a sua derrota com o britânico Anthony Joshua, em abril de 2017, em Londres, por TKO.
Embora alguns mostrem entusiasmo, outros fãs, no entanto, cientes da idade do lutador, prefeririam que este se mantivesse retirado, para não afetar o seu legado nem record (64 vitórias e 5 derrotas). Afinal, se não conseguiu derrotar Fury nem Joshua em combates anteriores, em que era mais novo e tinha outro ritmo competitivo, agora poderá ser mais difícil.

Nesta altura, apenas podemos especular sobre as suas verdadeiras intenções. Mas se regressasse em grande forma e decidido a seguir as instruções do seu treinador, então poderia ser um dos regressos mais memoráveis de sempre. A verdade é que o talento está presente, tal como o poder de nocautear qualquer adversário, mas terá de provar que ainda tem resistência suficiente e seguir o plano de jogo para derrotar oponentes desse calibre.

Algo que pode indiciar que tudo não passa de uma brincadeira é o calendário dos pugilistas que indicou nos seus tweets. Anthony Joshua já tem duas lutas marcadas para o próximo ano e tanto Deontay Wilder como Tyson Fury têm dois combates previstos entre si, que completarão a trilogia, o primeiro dos quais já a 22 de fevereiro de 2020, em Las Vegas, EUA.

Somente Klitschko saberá o que pretende. Num passado recente, alegadamente, recusou propostas milionárias para regressar. Mas tal recusa pode ter a ver com o timing certo para regressar aos ringues. Isto porque o atleta está agora com 43 anos, portanto, a dois de um outro possível objetivo, o do mais velho pugilista a se sagrar   campeão mundial de pesos-pesados, sucedendo a George Foreman, que o conseguiu aos 45 anos, em 1994.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments