Gaethje explica por que Ferguson é um ‘quebra-cabeça’ mais difícil de desvendar do que Khabib

Responsável por encarar o ‘Bicho-Papão’ neste sábado, norte-americano revela que ainda não sabe como pretende vencer duelo, mas mantém expectativa para boa apresentação

T. Ferguson (esq.) e J. Gaethje (dir.) se encontram antes do UFC 249. Foto: Reprodução/Instagram @ufc_brasil

Neste sábado (9), Justin Gaethje fará a luta mais importante de sua carreira no MMA, até o momento. Responsável por encabeçar o UFC 249, que acontece em Jacksonville (EUA), o norte-americano terá o difícil papel de derrotar Tony Ferguson na disputa pelo cinturão interino dos leves (até 70,3kg.). Ciente da tarefa, o atleta esclareceu o motivo pelo qual acha o ‘Bicho-Papão’ um rival mais complicado do que o campeão linear, Khabib Nurmagomedov.

Veja Também

McGregor vai observar UFC 249 para decidir se aceita lutar durante pandemia, diz empresário
Ferguson e Cejudo são favoritos nas lutas por cinturão no UFC 249
Jon Jones doa 100.000 refeições para famílias carentes no Novo México

“Nós já vimos ele (Ferguson) ser atingido, mas nunca vimos ele ser finalizado. Ninguém nunca colocou Edson (Barboza) para dormir como ele fez (em 2015). Eu sei o quanto vai ser difícil encontrar um golpe, mas só preciso de um e eu tenho as habilidades e força para conectá-lo. Tony é um lutador único e vai ser necessário tempo e paciência para entender como ter sucesso contra ele”, disse Justin, em entrevista ao ‘MMA Fighting’.

Gaethje também falou sobre a diferença existente entre enfrentar ‘El Cucuy’ e trocar forças contra o atual campeão linear, Khabib. Para Justin, Tony se apresenta como um adversário mais versátil, o que dificulta impôr uma estratégia de jogo mais específica.

“Existem muitas incógnitas em relação a Tony. Você sabe o que Khabib vai fazer e é te colocar para baixo e te pressionar nas grades. Se não fizer, ele vai tentar desferir golpes no centro do octógono”, explicou o peso leve.

Por fim, Justin afirmou que não tem um plano concreto sobre como vai fazer para derrotar um dos atletas mais temidos da divisão. O fato, no entanto, não impede que o lutador mantenha o foco para conquistar o que muitos consideram impossível.

“Eu acredito que ele não consegue me derrubar no centro do octógono e eu posso ficar longe das grades. O quebra-cabeça está escrito. Como derrotar Tony? Eu não sei, mas vou descobrir”, finalizou.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments