Patrocínio é novo motivo de clima ruim entre Rampage e UFC

Rampage

A relação Rampage x UFC já está estremecida há algum tempo. A última luta prevista no contrato do ex-campeão dos meio-pesados com a organização tem sido cercada de problemas. O principal deles é sem dúvidas o adiamento entre Jackson e o brasileiro Glover Teixeira. Porém, Rampage revelou uma proibição, por parte da organização do Ultimate, do uso de material esportivo fornecido por sua nova patrocinadora, a Reebok. O que, segundo o próprio lutador, seria ilegal.

Para justificar seu ponto de vista, Quinton Jackson citou os contratos de outros lutadores com a Nike – como é o caso de Jon Jones, Anderson Silva e Júnior do Santos.  Por outro lado, se sabe que o UFC tem um política rígida com relação aos patrocínios pessoais dos lutadores e, em muitos casos, cobra taxas para as empresas que se associam à atletas sob contrato com a organização.

PUBLICIDADE:

Apesar do discurso sobre finanças, negócios e marketing pessoal, Rampage afirmou que sua mágoa com o UFC não é só pelo dinheiro. “Eu não me sinto querido. Prefiro ter uma redução nos rendimentos e me sentir prestigiado”, disse o lutador, que até já atuou no cinema.

A despedida de Quinton “Rampage” Jackson do Ultimate está programada para acontecer no UFC on Fox 6, no dia 26 de janeiro. Na ocasião, ele fará parte do co-main event da noite, lutando contra Glover Teixeira, em um duelo que aconteceria originalmente no UFC Rio 3.

PUBLICIDADE:

Charles do Bronx recusa luta no UFC? Peso leve detona: ‘Você sabe que vou te dar trabalho’

Leia Mais sobre: , ,


Comentários

Deixe um comentário

Confira todos os resultados do UFC Las Vegas 92 Resultados do UFC St. Louis Resultados do UFC 301 Resultados do UFC Las Vegas 91 Resultados do UFC 300