Weidman afirma que teve medo de ter a perna amputada e revela ainda sentir dores no local | SUPER LUTAS

Weidman afirma que teve medo de ter a perna amputada e revela ainda sentir dores no local

O ex-líder dos médios falou sobre o receio de perder o membro operado e declarou que também tem tido pouca sensibilidade na planta dos pés e nos dedos

C. Weidman falou após a grave lesão sofrida no UFC 261. Foto: Reprodução/Instagram

Pouco mais de duas semanas após operar a perna esquerda fraturada no UFC 261, Chris Weidman falou sobre como tem se sentido nos primeiros dias de sua recuperação. O ex-campeão dos médios (até 83.9kg) afirmou ter tido medo de ter a sua perna amputada e declarou que essa cirurgia foi a mais brutal de todas as que já fez em sua carreira. O depoimento foi dado em seu ‘Instagram‘.

Veja Também

“Fiquei muito assustado com essa dor porque estou pensando nos piores cenários. O pior deles é que o sangue não volte para o meu osso e não circule, o que significaria uma possível amputação. Isso aconteceu com meu polegar que operei depois da luta com Kelvin Gastelum. Fiz uma cirurgia em um ligamento que rompeu e cerca de oito semanas após a cirurgia, eles perceberam que o sangue não estava voltando. Então, tiveram que retirar todo o meu osso e colocar um osso do quadril lá dentro, porque o do dedo estava se deteriorando e morrendo. Se isso acontecesse com minha tíbia ou minha fíbula, eu não sei qual seria a consequência. Amputação, prótese de perna, tudo isso me assusta. Estou rezando e tenho certeza de que não vai acontecer, mas é uma possibilidade. Falei com um médico sobre isso e ele me disse que a tíbia tem as piores porcentagens de cura pós-cirurgia. Não é uma porcentagem alta, cerca de cinco por cento, mas é preocupante””, afirmou Chris.

O ‘All American’ revelou que tem tido dificuldades em fazer atividades simples como ir ao banheiro e que ainda sente muitas dores no local da lesão.

“Quando eu me levanto para ir ao banheiro, sinto uma dor muito forte. Eu preciso ter muita força de vontade e preparação mental para me levantar, porque assim que eu começo a ficar de pé o sangue começa a se acumular na minha canela e no meu pé e a dor é absurda”, desabafou o ex-líder dos médios.

O ex-campeão dos médios também falou sobre a pouca sensibilidade em algumas partes dos pés e que isso o tem assustado. Weidman afirmou que essa foi a cirurgia mais brutal de todos os 24 procedimentos que fez durante toda a sua carreira.

“Um outro problema é que tenho dormência na planta do pé e em alguns dedos. Está formigando como se eles estivessem meio anestesiados, como seu o nervo não estivesse funcionando perfeitamente. Isso também é um pouco assustador. Eu já fiz 24 cirurgias e essa foi completamente diferente de todas as outras. Operei o pescoço, as mãos e todas as partes do corpo que você poderia imaginar, mas essa foi muito mais brutal”, finalizou Weidman.

Líder dos médios entre 2013 e 2015, Chris Weidman busca agora se recuperar dessa grave lesão pra retomar a sua carreira. Segundo os médicos, o norte-americano só deve voltar a caminhar no período de seis a 12 meses. O veterano fraturou a perna esquerda ao tentar aplicar um chute em Uriah Hall no UFC 261 que aconteceu em abril desse ano.

 

Podcast #30: Aquecimento para o UFC 266 com duas disputas de cinturão e migué de Romero no Bellator

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments